Brasil ainda precisa aplicar 196 milhões de doses e pode alcançar imunidade coletiva só em 2022

Com o ritmo atual de vacinação, o país alcançará a meta de imunizar 90% de seus 160 milhões de adultos apenas no primeiro trimestre de 2022

Profissional de saúde aplica vacina da AstraZeneca contra Covid-19 em Duque de Caxias
21/04/2021  REUTERS/Ricardo Moraes
Profissional de saúde aplica vacina da AstraZeneca contra Covid-19 em Duque de Caxias 21/04/2021 REUTERS/Ricardo Moraes (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O Brasil ainda precisa aplicar 196 milhões de doses de vacinas para alcançar a imunização completa de toda a sua população adulta, ou 160 milhões de pessoas com mais de 18 anos. Com o ritmo atual, o país alcançará a meta de imunizar 90% de seus 160 milhões de adultos apenas no primeiro trimestre de 2022. 

A estimativa consta em estudo feito por cientistas da USP, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com base em dados oficiais do Ministério da Saúde. A informação foi publicada pela coluna de Mônica Bergamo.

No estudo, os pesquisadores afirmaram que a "velocidade da vacinação obtida até agora, apesar de mais acelerada nas últimas semanas, ainda é inadequada ao cenário epidemiológico do país".

PUBLICIDADE

Ao todo, 70 milhões de pessoas ainda não receberam nem sequer uma dose de vacina (44% do público alvo) e para elas precisam ser reservadas 140 milhões de doses. Outras 56 milhões (35% do total) já receberam a primeira dose e aguardam a segunda aplicação. Somente 34 milhões (ou 21%) estão completamente imunizados.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email