CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Coronavirus

ONG lança campanha pelo desenvolvimento de novas vacinas

A ONG 1DaySooner apela a voluntários para a realização de testes e faz campanha para angariar recursos para desenvolver novas vacinas

(Foto: REUTERS/Dado Ruvic)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Enquanto grande parte dos países mais desenvolvidos chegam a cerca de 50% da população completamente vacinada, a maioria dos países africanos patinam em números que, em média, não chegam a 5%, segundo dados de 9 de agosto. Sem nenhuma surpresa, o Brasil tem mantido uma taxa de imunização completa praticamente linear: 0,1% da população por dia. Como curiosidade, mantida essa taxa, a vacinação completa da população brasileira deve terminar em 3 de novembro de 2023. Evidentemente precisamos de mais vacinas, e logo, caso nossa pretensão seja imunizar o máximo de pessoas e salvar o máximo de vidas, indica a Equipe 1Day Sooner Brasil em material informativo sobre a campanha para desenvolver novas vacinas.  

"Apesar do desmonte da ciência nacional que, a exemplo dos indicadores dos principais fundos de financiamento nacionais em ciência e tecnologia, operava em 2020 com 31% do orçamento em relação a 2015, o Brasil contava, em novembro, com cerca de 15 vacinas em desenvolvimento em fases pré-clínicas, segundo o atualizadíssimo relatório de monitoramento de vacinas em desenvolvimento no país, apresentado pelo Ministério da Saúde, no último novembro. Caso avancem para a fase clínica, em humanos, são necessários meses de espera para que os voluntários de testes tradicionais sejam infectados em seus cotidianos, em número suficiente para que se possa dizer, com confiança estatística, que o grupo imunizado apresentou menor número de infecções do que o grupo controle (não imunizado), ou seja, que a vacina é eficaz", diz o texto da campanha . 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Desde abril do ano passado, quase dez mil brasileiros esperam para participar de uma abordagem mais rápida: testes de infecção humana controlada (IHCs), ou testes de “desafio” humano. De fato, o Brasil possui uma tríade que permitiria o desenho, a análise ética e a realização de HCTs com alto rigor científico: um sistema público universal de saúde (SUS), um sistema avançado de avaliação e monitoramento ético (sistema CEP-CONEP) e grupos de pesquisa científica altamente capacitados", escreve a Equipe 1Day Sooner Brasil.

"Segundo as diretrizes éticas da OMS para condução de estudos de IHCs, voluntários saudáveis, sem comorbidades, selecionados em uma faixa etária com risco mínimo de complicações, recebem uma vacina candidata (ou placebo) e são então, deliberadamente expostos ao vírus, sob cuidados médicos de alto nível, durante todo o período de infecção. Isso permite que os cientistas testem a eficácia de qualquer vacina na janela de infecção, ou seja, em semanas ao invés de meses".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO