Aziz suspende sessão após Barros acusar CPI de afastar fabricantes de vacinas do país

A oitiva do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, deverá ser retomada às 15h

www.brasil247.com - Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz
Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (Foto: Pedro França/Agência Senado)


Lisandra Paraguassu, Reuters - O presidente da CPI da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), suspendeu a reunião da comissão no início da tarde desta quinta-feira, depois do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), ter afirmado que produtores de vacina se afastaram do país por causa da atuação da CPI.

A afirmação causou revolta entre senadores, que reagiram à afirmação do deputado lembrando que a CPI tem pouco mais de 90 dias de atuação e o governo federal deixou de assinar contratos de compras de vacina com empresas grandes, como a Pfizer, ainda no ano passado.

Ao suspender a sessão, Aziz afirmou ainda que o convite para que Barros desse suas explicações seria “reavaliado”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois de suspensa a sessão, em entrevista, Barros repetiu a acusação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A CPI faz seu trabalho, mas o fato é que não há mais laboratórios procurando o Brasil porque não querem se expor a esse tipo de inquirição que a CPI faz”, afirmou.

Não há decisão ainda se a CPI volta a se reunir nesta quinta-feira e se o depoimento de Barros será retomado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Barros é acusado de envolvimento na pressão para que o Ministério da Saúde assinasse o contrato com para compra da vacina indiana Covaxin. De acordo com o deputado Luís Miranda (DEM-DF), que fez a denúncia sobre os problemas na compra da vacina, ao contar ao presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto, teria ouvido que era um esquema de Barros.

O líder do governo afirmou que foi um mal-entendido, e que Bolsonaro teria apenas perguntado se ele estaria envolvido ao ver sua foto em uma reportagem sobre o caso da empresa Global --proprietária da Precisa, então representante da Covaxin no Brasil-- em que Barros é investigado.

Barros negou qualquer envolvimento com o caso da Covaxin e alegou nunca ter tratado do tema com ninguém no Ministério da Saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email