CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CPI Covid

Minuta de relatório final da CPI da imputa 12 crimes a Bolsonaro, incluindo homicídio doloso

Ao todo, minuta do documento final da CPI da Covid responsabiliza 70 pessoas e três empresas por supostos crimes cometidos durante a pandemia

CPI da Pandemia e Jair Bolsonaro (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado | Marcos Corrêa/PR)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A minuta do relatório final da CPI da Covid, apresentada pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), aos outros parlamentares do colegiado, propõe que Jair Bolsonaro seja indiciado por 12 crimes, incluindo homicídio doloso, quando há intenção de matar, pelo atraso na compra de vacinas contra a Covid-19. Ao todo, o documento responsabiliza 70 pessoas e três empresas por conduta criminosa no combate à pandemia

"O Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, descumprindo o seu dever legal de evitar a morte de milhares de brasileiros durante pandemia de covid-19, cometeu, por conduta omissiva penalmente relevante, homicídio doloso, em vista da sua deliberada decisão em não adquirir vacinas disponíveis contra o SARS-CoV-2 nos meses de julho de 2020 a janeiro de 2021", diz um trecho do documento, segundo o jornal O Globo

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 Além de Bolsonaro, o relator sustenta que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o ex-secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, também incorreram no mesmo crime imputado ao ex-capitão. 

"O governo federal mesmo com todas as ofertas de imunizantes disponíveis, escolheu não comprar vacinas, indo contra todos os estudos científicos que comprovaram a segurança e a eficácia dos imunizantes, e contra todos os epidemiologistas que afirmavam diariamente que somente a vacina seria capaz de salvar vidas. A opção por não adquirir vacinas nos meses de julho de 2020 a, pelo menos, janeiro de 2021, sem nenhum embasamento técnico-científico, e na contramão de todas as recomendações das autoridades sanitárias internacionais, acabou tirando a vida de milhares de brasileiros que certamente fariam uso do imunizante, pois no Brasil houve recorde de adesão à vacina", destaca um outro trecho da minuta. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO