Ameaçadas pela alta nas importações, indústrias buscam apoio do governo Lula

Diversos setores industriais reivindicam barreiras comerciais contra importações chinesas

Indústria, Geraldo Alckmin (gravata azul) e Luiz Inácio Lula da Silva
Indústria, Geraldo Alckmin (gravata azul) e Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: ABR)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – As indústrias enfrentam uma ameaça crescente diante do aumento sem precedentes nas importações, levando-as a solicitar intervenção governamental. Cerca de 60 requisições foram encaminhadas ao Departamento de Defesa Comercial (Decom) desde o ano passado, conforme divulgado pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Esses pedidos, segundo reportagem do Estado de S. Paulo, visam investigar práticas comerciais desleais ou estender medidas protetivas contra concorrentes estrangeiros, especialmente da China, que foi alvo de nove dos 24 processos encerrados em 2023.

A entrada de produtos chineses a preços mais baixos em todo o mundo tem representado uma ameaça para as indústrias locais. O Brasil tem testemunhado a volta do imposto sobre importações de carros híbridos e elétricos, a aplicação de medidas compensatórias sobre produtos de alumínio da China, e a implementação do programa Remessa Conforme, da Receita Federal, como tentativas de lidar com essa situação.

continua após o anúncio

No entanto, as demandas por proteção enfrentam resistência. Importadores estão se mobilizando contra possíveis aumentos de custo, enquanto uma coalizão de 16 entidades representa setores como construção civil, indústria automotiva e bens de capital, se opõe ao aumento do imposto de importação do aço. Apesar do crescente número de pedidos, o governo Lula enfrenta o desafio de equilibrar a proteção da indústria nacional com outros interesses econômicos e comerciais.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247