Golpe de estado contra Dilma aumentou dramaticamente a pobreza no Brasil

Retrocesso começou em 2015, quando sabotagem parlamentar e Lava Jato destruíam a economia nacional

www.brasil247.com -
(Foto: Agência Brasil)


247 - Um levantamento elaborado pela consultoria Tendências aponta que o número de domicílios brasileiros que integram as classes D e E passou de 48,7% para 51% entre 2012 e 2022. A situação, porém, disparou após o golpe que depôs a presidente eleita Dilma Rousseff, em 2016. No ano seguinte, este índice subiu para 50,8% e chegou a 51% no início deste ano. 

De acordo com o G1, o levantamento aponta que, em números absolutos, o número de domicílios na base da pirâmide social no início deste ano chega a 37,7 milhões. Pelo levantamento da Tendências, as classes D e E são compostas pelos domicílios com renda mensal de até R$ 2,8 mil.

Ainda segundo a reportagem, a situação no ano passado se agravou em função da pandemia e o percentual de domicílios nas classes D e E chegou a 51,6%. A melhora registrada no início deste exercício está ligada a uma pequena melhora do mercado de trabalho. Apesar disso, 30,2 milhões de trabalhadores sobrevivem com até um salário mínimo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A expectativa é que a situação não se inverta rapidamente. As previsões do mercado financeiro para este exercício, de acordo com o Boletim Focus, do Banco Central,é que a economia brasileira cresça apenas 0,29%. Em 2023, as projeções indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) irá crescer 1,75% e 2% nos dois anos seguintes. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email