Petrobras desiste de vender refinaria nos EUA

A desistência na venda ocorre em meio a suspeitas apuradas pelo Tribunal de Contas da União de que a empresa sofreu prejuízo na negociação que resultou na compra da Pasadena, em Houston

Petrobras desiste de vender refinaria nos EUA
Petrobras desiste de vender refinaria nos EUA


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Reuters - A Petrobras desistiu de vender a refinaria de Pasadena, nos EUA, dentro de seu atual plano de desinvestimento, disse nesta terça-feira a presidente da estatal, Maria das Graças Foster, ao comentar o novo programa de negócios da empresa para o período de 2013 a 2017.

"A refinaria de Pasadena saiu do plano de desinvestimento", disse a jornalistas Graça Foster, como costuma ser chamada, sem detalhar os motivos que levaram a empresa a retirar a refinaria dos EUA do programa de desinvestimento.

Ela também não comentou quais outros ativos poderão ser vendidos.

continua após o anúncio

O ativo constava do plano de desinvestimento anterior, entre 2012 e 2016.

O plano 2013-2017 prevê desinvestimentos totais de 9,9 bilhões de dólares, ante 14,8 bilhões de dólares no anterior.

continua após o anúncio

A desistência na venda ocorre em meio a suspeitas apuradas pelo Tribunal de Contas da União de que a Petrobras sofreu prejuízo na negociação que resultou na compra da refinaria. Ela não fez referência à investigação durante entrevista nesta terça-feira.

A Petrobras comprou 50 por cento da refinaria de Pasadena, em Houston, em 2006, por 360 milhões de dólares. Mas em seguida entrou em uma batalha judicial com o parceiro no projeto, a Astra, que possuía os 50 por cento restantes.

continua após o anúncio

No fim de junho de 2012, a estatal encerrou o litígio com a Astra, após quase seis anos de disputas, aceitando pagar 820 milhões de dólares para ficar com os 50 por cento da sua sócia no negócio.

A Petrobras desembolsou quase 1,2 bilhão de dólares pela refinaria, que possui capacidade de produção de 100 mil barris/ dia.

continua após o anúncio

Ao anunciar o plano de negócios, na última sexta-feira, a estatal informou que a maioria dos ativos previstos no desinvestimento devem ser vendidos ainda em 2013.

Além da refinaria dos EUA, a Petrobras pretende vender refinarias na Argentina e havia colocado à venda a refinaria no Japão, assim como blocos no Golfo do México e na Tanzânia.

continua após o anúncio

NOVAS REFINARIAS

Os investimentos em novas refinarias no Brasil foram reduzidos em 12,6 bilhões de dólares no novo plano de negócios da estatal, e o corte colocou em xeque a construção das refinarias Premium 1, no Maranhão, e Premium 2, no Ceará, que estavam em avaliação no plano anterior.

continua após o anúncio

A execução ou não dos projetos sob avaliação, segundo a presidente da estatal, dependem de três fatores: o resultado dos estudos de viabilidade técnico-econômica, a disponibilidade de dinheiro e também a competição pelos recursos disponíveis com outros projetos sob avaliação.

"As refinarias não subiram no telhado, nunca estiveram, mas não posso construir uma refinaria que ainda não deu tudo de si no projeto... ainda estamos fazendo esforços intensos para que sejam feitas as duas refinarias. Aprendemos em 2012 o que representou não ter essas duas refinarias, não foi bom", disse Graça Foster.

continua após o anúncio

O diretor de Abastecimento da estatal, José Carlos Cosenza, disse nesta terça-feira que os estudos de viabilidade técnico-econômica das duas refinarias devem ficar prontos até julho.

(Reportagem de Leila Coimbra e Rodrigo Viga Gaier)

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247