Daniel Alves chora, diz que estava bêbado e nega ter cometido estupro

"Eu tinha bebido muito", afirmou o ex-jogador no terceiro dia do julgamento na Espanha

Daniel Alves no tribunal durante o primeiro dia de julgamento por acusação de estupro em Barcelona, Espanha 05/02/2024
Daniel Alves no tribunal durante o primeiro dia de julgamento por acusação de estupro em Barcelona, Espanha 05/02/2024 (Foto: Alberto Estevez/Pool via Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O ex-jogador Daniel Alves negou ter cometido o crime de estupro, durante julgamento na Espanha. De acordo com investigadores, o caso aconteceu em Barcelona na madrugada do dia 31 de dezembro de 2022. 

"Pedimos cinco garrafas de vinho e uma garrafa de uísque japonês. Quando saímos do restaurante, fomos ao Nuba e tomamos uma rodada de gim-tônica. Para chegar lá, fomos de carro. O Bruno [Brasil, amigo do jogador que prestou depoimento nesta terça] dirigiu, porque eu tinha bebido muito e não podia dirigir", afirmou o ex-jogador, que prestou depoimento nesta quinta-feira (8), o terceiro dia do julgamento do caso. O relato foi publicado na CNN Brasil

continua após o anúncio

O ex-jogador continuou seus relatos sobre o ocorrido na boate. "Primeiro vieram duas garotas e elas ficaram lá dançando por um tempo. Depois convidaram as três garotas, a reclamante e suas amigas. Elas não se sentiram nem um pouco desconfortáveis. Elas chegaram e começaram a nos cumprimentar. Começou uma conversa, estávamos nos movimentando, conversando umas com as outras. Eu sou uma pessoa muito próxima, mas com respeito. Estávamos dançando, interagindo", afirmou. 

"Ela colocou a mão para trás e começou a tocar minhas partes. Ela disse que sim para ir ao banheiro, eu não precisei insistir. Eu disse a ela que iria ao banheiro primeiro e esperei um pouco, achando que ela não viria, que não queria ir. E quando abri a porta, praticamente esbarrei nela. Ela se ajoelhou na minha frente e começou a me fazer sexo oral. Recebi a notícia de que estava sendo acusado de estupro pela imprensa. O mundo desabou sobre mim. Eu estava praticamente arruinado porque minha conta no Brasil havia sido bloqueada e todos os meus contratos haviam sido quebrados".

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247