Alencar vê lavagem em negócio de Perillo

Deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) acentua contradição entre pagamento em dinheiro por casa do governador goiano, como alega Walter Paulo Santiago (dir.) à CPI, e recebimento de três cheques na versão de Marconi Perillo; "Paguei em pacotinhos, em notas de 50 e 100", diz empresário no Congresso

Alencar vê lavagem em negócio de Perillo
Alencar vê lavagem em negócio de Perillo (Foto: Wilson Dias/ABr)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Durante o depoimento do empresário Walter Paulo Santiago, na sessão da CPI do Cachoeira nesta terça-feira 5, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) acentuou uma contradição na fala do dono da Faculdade Padrão e de outras empresas, apontado como o comprador de uma casa de luxo do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Santiago diz ter pago o imóvel, vendido a R$ 1,4 milhão, em dinheiro. O governador, porém, já disse em entrevista ter recebido o pagamento por meio de três cheques, assinados em nome de seu sobrinho, Leonardo Almeida Ramos. "Não sei nada de cheque", disse o depoente na sessão de hoje.

O deputado do PSOL afirmou que ou o governador de Goiás foi enganado em relação à versão dos pagamentos ou o episódio se trata de lavagem de dinheiro. A compra foi feita por meio da empresa Mestra, de investimentos imobiliários, a qual é administrada por Santiago. Outra contradição diz respeito à origem do dinheiro. Na primeira versão, o depoente disse que se tratava de empréstimos – não soube dizer de onde, já que foram feitos por seu contador. Depois, afirmou que o valor estava guardado em casa, e que se tratavam de "sobras" de suas empresas.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247