Orientação para evitar novas mortes por H1N1

Após o registro do primeiro óbito no Estado ocasionado pela doença, Prefeitura do Recife orienta sobre os cuidados que devem ser tomados pela população

Orientação para evitar novas mortes por H1N1
Orientação para evitar novas mortes por H1N1 (Foto: Lisa S./Shutterstock)

PE247 – O registro da morte de uma mulher, de 42 anos, por conta da gripe H1N1 parece ter ligado o sinal de alerta para a doença em Pernambuco. Para evitar que a população associe a doença a um grande vetor destruidor de vidas, a Prefeitura do Recife investe na orientação sobre os cuidados que devem ser tomados para o combate à doença, que mata menos do que a gripe comum.

De acordo com a médica da Rede Municipal de Saúde, Edjane Buriti, os raros casos de óbitos acontecem naqueles que fazem parte do grupo de risco (idosos, gestantes e crianças com menos de 2 anos) uma vez que eles já tenham um histórico de complicações. “Além desse grupo, os mais suscetíveis da gripe A são aqueles que são portadores de doenças crônicas”, completou.

Os sintomas mais comuns da gripe A são bem parecidos com os da comum. “Geralmente o paciente tem dor de cabeça, febre, tosse, dores musculares, corizas e dificuldades na respiração. Em caso de sintomas o importante mesmo é procurar orientações médicas”, disse a médica.

Hoje em dia, as vacinas oferecidas na rede municipal imunizam os três tipos de vírus que circulam pela América Latina, incluindo a H1N1. Para evitar o contágio é importante lavar as mãos constantemente e evitar lugares aglomerados de pessoas e ou de pouca ventilação principalmente no inverno.

Em nossa Cidade, não há registros de casos graves da gripe A. Ainda de acordo com a Dra. Edjane, a população não precisa se apavorar com a doença. “Apenas o grupo de risco é passivo de agravamentos. Contudo, as formas de prevenção são bem acessíveis a qualquer um” completou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247