CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Presidente do PP-BA nega envolvimento com Youssef

Presidente do PP na Bahia e ex-ministro das Cidades, o deputado Mário Negromonte, nega envolvimento com Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava-jato; segundo denúncia de Veja, Luiz Argôlo (ex-PP e atualmente SDD), Negromonte e Roberto Britto teriam recebido dinheiro de Youssef como parte de "esquema de pedágio para negócios com a Petrobras"; "Todas as doações foram feitas entre as empresas e o partido (PP). Não existiu intermediário", afirma Negromonte

Imagem Thumbnail
DF - CIDADES/CRISE - POL�TICA - O ministro das Cidades, M�rio Negromonte, fala sobre den�ncias de doa��es ilegais durante audi�ncia p�blica na Comiss�o de Desenvolvimento Urbano, na C�mara dos Deputados, em Bras�lia. 10/08/2011 - Foto: DIDA SAM (Foto: Romulo Faro)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Bahia 247 - Tal qual o deputado Luiz Argôlo (SDD), o presidente do PP na Bahia e ex-ministro das Cidades, Mário Negromonte, também nega qualquer envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava-jato.

Segundo denúncia de Veja no final de semana, Argôlo (ex-PP), Negromonte e Roberto Britto teriam recebido dinheiro de Youssef como parte de "esquema de pedágio para negócios com a Petrobras".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Negromonte já era presidente do PP baiano, época do esquema, e afirma que encontrou o doleiro uma vez apenas e que nunca teve "vínculo" com ele. Ainda de acordo com o líder progressista, as doações partidárias ocorreram "dentro da lei".

"Todas as doações foram feitas entre as empresas e o partido (PP). Não existiu intermediário". Deputado também nega relação de seu irmão Adarico Negromonte com Youssef. "Liguei para ele (Adarico) e ele me disse que não tem nenhuma relação profissional com o Youssef", disse Mário Negromonte em entrevista ao jornal A Tarde.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO