Mudanças climáticas foram a principal causa da grave seca na Amazônia, mostra estudo

De acordo com a pesquisa, o fenômeno natural El Niño, conhecido por trazer condições secas à região, teve uma influência menor na estiagem

Amazônia
Amazônia (Foto: Ueslei Marcelino - Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Grupo internacional de cientistas especializados em assuntos climáticos, World Weather Attribution (WWA) afirmou nesta quarta-feira (24) que a seca histórica que assolou a região da Amazônia em 2023 teve sua principal origem na mudança climática causada pela atividade humana. De acordo com a pesquisa, o fenômeno natural El Niño, conhecido por trazer condições secas à região, teve uma influência menor na estiagem. 

O El Niño ocorre em intervalos de cinco a sete anos. Tem duração média que varia entre um ano a um ano e meio. Começa nos últimos meses do ano. Nesta ocorrência climática, os ventos alísios, que saem dos trópicos em direção à linha do Equador, sopram no sentido leste-oeste. Quando ocorre o fenômeno, os ventos perdem força. As correntes frias não sobem para a superfície do mar. As águas do Oceano Pacífico se tornam mais quentes. 

continua após o anúncio

Algumas das consequências do El Niño é o tempo quente e seco nas regiões sul e sudeste da Ásia, e na Oceania principalmente na Austrália e Nova Zelândia. As ilhas da região central do Pacífico têm aumento no volume de chuvas. 

A costa oeste da América do Norte registra um tempo quente e chuvas muito intensas no verão. Na América Central, o tempo se torna quente e seco. Na América do Sul os efeitos variam. As chuvas diminuem em países como a Bolívia, o Peru e a Colômbia.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247