Rio Negro volta a subir no Amazonas e tem nível dentro da normalidade

Apesar disso, os 62 municípios do estado ainda estão em situação de emergência por conta da seca

Rio Negro atingiu mínimas históricas
Rio Negro atingiu mínimas históricas (Foto: Alex Pazuello / Secom)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Vermelho - Depois de registrar a maior seca dos últimos 121 anos, o Rio Negro voltou a subir em Manaus (AM) e já apresenta nível de normalidade para o período, alcançando na terça-feira (6) 21,46 metros.

Em outubro do ano passado a cota do Rio Negro ficou abaixo de 13 metros pela primeira vez desde 1902, quando começaram as medições.

continua após o anúncio

O atual nível é quase o dobro do mais baixo, registrado em 26 de outubro de 2023, quando alcançou a cota histórica de 12,70 metros, segundo o Porto de Manaus.

De acordo com o G1, a cheia reaqueceu setores da economia que dependem de atividades como transporte fluvial e turismo.

continua após o anúncio

Os principais rios do Amazonas já voltaram a subir e seguem apresentando níveis dentro da normalidade para o período, conforme o Serviço Geológico do Brasil (SGB).

Apesar disso, os 62 municípios do estado ainda estão em situação de emergência por conta da seca.

continua após o anúncio

A combinação dos efeitos do El Niño com o aquecimento global ainda pesa sobre os municípios do interior, onde no período mais severo predominou imagens de dos botos e milhares de peixes mortos no Lago Tefé.

O lago em frente a cidade foi transformado em estrada, sendo atravessado de motocicleta.

continua após o anúncio

A pesquisadora de geociências do SGB, Jussara Cury, disse ao G1 que, após a vazante severa que atingiu o estado, os níveis dos rios ficaram baixos e precisam de tempo para se recuperar, mas eles ainda estão sendo impactados pela pouca quantidade de chuvas durante o El Niño.

“O fenômeno afeta no acumulado de chuvas, que está abaixo do normal para o período. No momento Tabatinga, no Alto Solimões, está apresentando oscilações e até descidas. O mesmo ocorre na parte norte da bacia, como Alto Rio Negro e rio Branco, em Roraima, que estão em recessão e no caso de Boa Vista [capital de Roraima] com níveis baixos para o período”, explica a pesquisadora.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247