CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mídia

Guedes foi a desculpa do mercado e da mídia para Bolsonaro

"Até Jair Bolsonaro compreende que a de Guedes não serve e que acabará por destruir politicamente seu governo.Portanto, as juras do presidente são tão falsas quanto sempre foram.Guedes virou um fantasma, que segue fazendo “bú”, mas que assusta cada vez menos", diz o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço

Imagem Thumbnail
Jair Bolsonaro e Paulo Guedes (Foto: Marcos Corrêa/PR)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Os comentários na mídia, dizendo que foi Paulo Guedes quem deu a Jair Bolsonaro a seriedade e os votos de que precisava para se eleger só são verdadeiros se lidos da seguinte forma: foi o selvagem “liberal”, privatista e insensível socialmente, quem deu à mídia e ao “mercado” a razão para dar apoio a um tosco, despreparado e autoritário, certos de que Guedes seria o capataz plenipotenciário de seus interesses, toureando dirigindo de fato a economia.

Sim, isso influi, mas está longe de explicar a eleição do “mito”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a brutalização da questão da segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.

Paulo Guedes, com toda a sua arrogância, revelou-se um inepto para conduzir o arrocho econômico, mesmo diante de um congresso reacionário e inorgânico. Consumiu o ano de 2019 com a reforma da Previdência – de efeito zero no curto prazo – e foi atropelado, neste 2020, por uma recessão pandêmica que, embora não pudesse ser evitada, poderia ter sido mitigada se o país não tivesse sido entregue à confusão e esteja hoje sem perspectivas de melhora.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Pior, não é capaz de apontar mudanças de rumo, diante da tempestade e acabou abalroado por dois lados. Um, pelo desejo, ainda que mal planejado, das pressões por investimentos públicos capitaneada pelos militares e de outro, pelos apetites vorazes dos parlamentares do Centrão, que não darão sustentação a Bolsonaro por razões ideológicas, mas fisiológicas.

A sofisticação do pensamento econômico de Paulo Guedes, a quem caberia a autodefinição feita ontem pelo debandante ex-Secretário de Privatização do Ministério, Salim Mattar – “eu sou um animal de mercado” – não vai além de cortar, vender, destruir. É um predador, não um cultivador.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Resta saber, depois da terra arrasada em que nos encontramos – e boa parte do mundo também – de que tipo de política econômica precisamos.

Até Jair Bolsonaro compreende que a de Guedes não serve e que acabará por destruir politicamente seu governo.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Portanto, as juras do presidente são tão falsas quanto sempre foram.

Guedes virou um fantasma, que segue fazendo “bú”, mas que assusta cada vez menos.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO