China reitera posição de neutralidade: defende integridade territorial da Ucrânia e reconhece preocupações legítimas da Rússia

"Não se deve permitir que as vozes ocidentais dominem a voz da comunidade internacional sobre a situação da Ucrânia", defende ainda a China

(Foto: Jason Lee/Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247, com Global Times - O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse: "A China sustenta que a soberania e a integridade territorial de todos os países devem ser respeitadas e protegidas e os propósitos e princípios da Carta da ONU devem ser observados com seriedade. Esta posição da China é consistente e clara, e se aplica igualmente para a questão da Ucrânia."

Mas ele também disse: "As preocupações legítimas de segurança de todos os países devem ser respeitadas. Dadas as cinco rodadas consecutivas de expansão da Otan para o leste, as demandas de segurança legítimas da Rússia devem ser levadas a sério e tratadas adequadamente".

O texto do Global Times acrescenta: "Não se deve permitir que as vozes ocidentais dominem a voz da comunidade internacional sobre a situação da Ucrânia, pois as potências ocidentais, especialmente os EUA e a OTAN, têm sido as forças-chave na instigação da crise e contradição entre a Rússia e a Ucrânia".

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247