Homem morre nos Estados Unidos com remédio divulgado por Trump e Bolsonaro

Um homem na faixa dos 60 anos morreu após usar a cloroquina, indicada para o tratamento de malária, lúpus. Mesmo com a recomendação da comunidade médica de que o remédio precisa passar por testes no combate ao coronavírus, Trump e Bolsonaro disseram que irão produzi-lo em longa escala

(Foto: Reprodução | Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um homem na faixa dos 60 anos no estado do Arizona, nos Estados Unidos, morreu após usar sem orientação médica a cloroquina, usada para o tratamento de malária, lúpus e artrite, em uma aparente tentativa de se tratar da covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus. A informação é do portal UOL.

A sua esposa, que também se automedicou com a cloroquina, segue em observação por profissionais do Hospital Banner Health, segundo informações da CNN.

Além do paciente estadunidense, outras duas pessoas foram intoxicadas ao ingerir a cloroquina, na Nigéria. 

Algumas pesquisas iniciais apostam que a cloroquina pode ser útil contra o novo coronavírus. Mas seu uso ainda precisa de testes e requer cuidados.

O presidente dos EUA, Donald Trump exigiu que a FDA, agência que regulamenta os medicamentos no país, acelere a liberação do uso da substância para enfrentar a pandemia. Neste sábado (21) Jair Bolsonaro seguiu a mesma linha, anunciando que o Exército aumentaria a produção do remédio. Segundo ele, o Hospital Israelita Albert Einstein teria iniciado testes do medicamento em pacientes infectados pelo coronavírus.  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247