Irã denuncia que EUA não cortam fornecimento de armas para Israel apesar das promessas de redução da escalada

Chanceler iraniano diz que cessar-fogo só seria possível se os EUA demonstrassem o seu desejo “em atos, não em palavras”

Gaza bombardeada, Benjamin Netanyahu e Joe Biden
Gaza bombardeada, Benjamin Netanyahu e Joe Biden (Foto: reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

TASS - Os Estados Unidos, apesar das suas promessas de evitar uma nova escalada da guerra de Israel contra o povo palestino, não reduziram de forma alguma o fornecimento de armas a Israel, disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Hossein Amir-Abdollahian.

Comentando sobre uma potencial operação terrestre do exército israelense no sul da Faixa de Gaza, ele disse: "A administração americana fala em prevenir a propagação da guerra na região, mas ao mesmo tempo não tem de forma alguma reduzido o fornecimento de armas e equipamento militar ao regime israelense para matar palestinos." Ele acrescentou que alcançar um cessar-fogo só seria possível se os EUA demonstrassem o seu desejo disso “em atos, não em palavras”.

continua após o anúncio

Na segunda-feira (12), o ministro das Relações Exteriores iraniano chegou ao Catar. Lá ele manteve conversações com seu homólogo local, o xeque Mohammed bin Abdulrahman bin Jassim Al Thani.

Na semana passada, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que os militares tinham recebido ordens para se prepararem para o início dos combates em Rafah, na fronteira de Gaza com o Egito. Dois dias depois, ele ordenou que o exército preparasse um plano para evacuar os civis e eliminar os quatro batalhões restantes do Hamas na cidade. Na segunda-feira (12), Israel fez ataques maciços em Rafah, matando mais de 100 pessoas e ferindo mais de 230.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247