Trump elogia Putin e debocha de Biden: "fraco e incompetente"

"O mundo era um lugar pacífico porque a América era forte", disse ele

www.brasil247.com - 07/07/2021
REUTERS/Eduardo Munoz
07/07/2021 REUTERS/Eduardo Munoz (Foto: EDUARDO MUNOZ)


Sputnik – O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, criticou o atual mandatário Joe Biden, classificando-o como "fraco e grosseiramente incompetente" em suas ações contra a Rússia devido aos conflitos na Ucrânia.

Trump afirmou que, em seu governo, a Rússia "respeitava a América" e que Biden agora está levando o país a consequências imprevisíveis. "O mundo era um lugar pacífico porque a América era forte", disse Trump ao comentar sobre seu mandato, durante a Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC, na sigla em inglês), realizada na noite deste sábado (26), em Orlando, na Flórida.

Segundo ele, os EUA eram vistos como "poderosos, astutos e inteligentes" à época. "Agora, somos um país estúpido", disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trump avaliou ainda que o presidente russo Vladimir Putin tomou a decisão sobre a operação militar especial na Ucrânia depois de assistir à "patética retirada [dos EUA] do Afeganistão".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Ontem [sexta-feira, 25] os repórteres me perguntaram se eu achava que o presidente Putin era inteligente. Eu disse que é claro que ele é inteligente", declarou Trump, acrescentando que os países da OTAN "não são tão inteligentes, parecem o oposto de inteligente".

O ex-presidente dos EUA ressaltou que as sanções contra a Rússia demonstram "uma atitude fraca", já que Moscou já vive sob sanções do Ocidente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Putin está tocando Biden como um tambor", disse Trump, afirmando que a situação nunca teria ocorrido em seu governo, pois, segundo ele, teria sido fácil "acabar com essa farsa".

Sanções 

As nações ocidentais têm aumentado o leque de sanções contra a Rússia após o início da operação militar na Ucrânia. Na última quinta-feira (24), o presidente russo Vladimir Putin autorizou a ação a partir do pedido de ajuda das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL), que acusaram Kiev de intensificar os bombardeios na região de Donbass. Três dias antes, a Rússia havia reconhecido a independência das repúblicas. Segundo Moscou, o objetivo da operação é salvar a população civil do genocídio e libertar Donetsk e Lugansk, por meio da desmilitarização e desnazificação da Ucrânia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email