A um ano das eleições, Bolsonaro carrega a maior rejeição da história

Datafolha aponta que 59% dizem não votar nele em nenhuma hipótese, 15 pontos percentuais a mais do que em sua eleição, em 2018

www.brasil247.com -
(Foto: Jornalistas Livres | ABr | PR)


247 – Jair Bolsonaro chega ao ano eleitoral com a maior carga negativa da história do Brasil. "O total do eleitorado que declara hoje que não votaria de jeito nenhum a favor da sua reeleição é de 59%, 21 pontos percentuais a mais do que seu principal adversário até agora na disputa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) —com 38%. A atual rejeição a Bolsonaro é, disparada, a maior medida pelo Datafolha na comparação com a dos presidentes que foram eleitos nas oito disputas anteriores, incluindo ele próprio em 2018", aponta reportagem de Ranier Bragon, na Folha de S. Paulo.

"Nunca o eleito, de 1989 a 2014, teve mais do que cerca de um terço do eleitorado declarando não votar nele de jeito nenhum. Bolsonaro já havia batido esse recorde em 2018. Ele chegou à reta final da campanha com 44% de rejeição, mas conseguiu a vitória no segundo turno. Seu principal oponente, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), também amargava um índice negativo similar, 41%", lembra o jornalista.

Veja a rejeição durante a campanha dos presidentes eleitos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1989 - Fernando Collor (PRN) - 11% a 30% (de junho a novembro de 1989)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1994 - FHC (PSDB) - 12% a 17% (maio a setembro de 1994)

1998 - FHC (PSDB) - 25% a 21% (março a setembro de 1998)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2002 - Lula (PT) - 30% a 29% (nov.2001 a set.2002)

2006 - Lula (PT) - 30% (out.2005 a set.2006)

2010 - Dilma (PT) - 21% a 27% (dez.2009 a set.2010)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2014 - Dilma (PT) - 27% a 33% (out.2013 a set.2014)

2018 - Bolsonaro (PSL) - 33% a 44% (set.2017 a out.2018)

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email