Lula alerta para risco de guerra na América do Sul e lamenta submissão do Brasil aos interesses dos Estados Unidos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente a nova Política Nacional de Defesa, que traz o risco de uso das forças armadas brasileiras numa guerra contra a Venezuela, a mando dos Estados Unidos

Lula
Lula (Foto: Ricardo Stuckert)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se manifestou nesta sexta-feira sobre a nova Política Nacional de Defesa, que traz o risco de que o Brasil seja empurrado para uma guerra contra a Venezuela para atender a interesses econômicos e geopolíticos dos Estados Unidos, como alertou o editor internacional do 247, José Reinaldo Carvalho, em sua coluna.

“Tenho lido com preocupação os relatos sobre a nova edição da Política Nacional de Defesa. Nossos governos trataram de fazer da PND e da Estratégia Nacional de Defesa instrumentos de paz, soberania e desenvolvimento autônomo”, escreveu Lula, em seu twitter. “É alarmante perceber que velhas teorias sobre rivalidades com vizinhos estão sendo ressuscitadas e que nossas Forças Armadas podem vir a ser utilizadas para ações incompatíveis com os princípios constitucionais de não intervenção e da autodeterminação dos povos.”

continua após o anúncio

O ex-presidente também apontou a submissão do governo Bolsonaro a interesses internacionais. “A preocupação aumenta quando assistimos o alinhamento automático e a submissão ilustrada pelo vergonhoso vídeo de um general brasileiro tratado como empregado pelo chefe do comando sul dos EUA, o mesmo responsável por possíveis ações armadas contra países latino-americanos. O Brasil precisa urgentemente recuperar sua soberania nacional. E esse sim deveria ser o objetivo de uma nova edição da Política Nacional de Defesa”, afirmou.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247