CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Poder

Lula lança instituto com seu nome

Instituio conta com 38 associados, entre eles os ministros da Cincia e Tecnologia, Aloizio Mercadante, e o ministro da Defesa, Celso Amorim, e pretende ajudar a integrar pases da Amrica Latina

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criou, hoje, o Instituto Lula, uma associação civil cujo objetivo é dar suporte às iniciativas políticas do petista. O lançamento do instituto foi definido em assembleia promovida com 40 associados à nova iniciativa, em um hotel da capital paulista. O Instituto Lula terá como sede, a princípio, o imóvel onde funcionava o Instituto Cidadania, local usado pelo ex-presidente para despachar desde que deixou o Palácio do Planalto.

No encontro foi ainda aprovado o corpo de diretores da nova entidade: o ex-presidente do Sebrae, Paulo Okamoto; a assessora do ex-presidente, Clara Ant; o ex-tesoureiro da campanha presidencial de Dilma Rousseff, José de Filippi; e os ex-ministros Luiz Dulci e Paulo Vanucchi. Lula, além de presidente de honra do instituto, é seu primeiro associado, seguido por sua mulher, a ex-primeira-dama Marisa Letícia. Ao todo, a associação civil conta atualmente com 38 associados, entre eles o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante; o deputado federal Arlindo Chinaglia, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique; o ex-ministro Franklin Martins; o ex-ministro Miguel Jorge e o atual ministro da Defesa, Celso Amorim, entre outras personalidades.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O diretor-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, explicou que em um primeiro momento a entidade terá como foco promover uma integração maior entre países da América Latina e ajudar no estabelecimento de políticas de desenvolvimento na África. "Não queremos fazer projetos específicos, queremos estabelecer políticas públicas para Estados, através dos exemplos construídos no Brasil, por meio da autoridade política do ex-presidente", disse.

Além de desenvolver projetos de políticas públicas, o Instituto Lula também desenvolverá o "Memorial da Democracia", que agregará documentos e peças referentes às lutas sociais ocorridas no Brasil. A iniciativa incluirá ainda parte do acervo pessoal de Lula, quando esteve à frente do Palácio do Planalto.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

No estatuto do Instituto não há proibição de recebimento de recursos públicos, mas Okamoto ressalta que o objetivo é manter a entidade exclusivamente com recursos da iniciativa privada. Não foi divulgado ainda um orçamento oficial, mas Okamoto calcula uma demanda de recursos entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão. A previsão é inicial, uma vez que o ex-presidente Lula pretende arrecadar recursos com a iniciativa privada.

Aloizio Mercadante, que participou do encontro, relatou ter sugerido ao ex-presidente que o Instituto se dedique também a uma agenda global, com foco no crescimento dos países emergentes na discussão em torno da mudança do dólar como moeda-padrão internacional e na discussão de uma agenda para a sustentabilidade. Negou que a atuação do ex-presidente à frente da entidade possa interferir no governo da presidente Dilma Rousseff. "A maior preocupação do Lula é não ter qualquer tipo de interferência na agenda do governo federal", garantiu Mercadante.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO