Presidente do PSDB quer investigar Protógenes

Srgio Guerra (PSDB/PE) decidiu representar no Conselho de tica da Cmara contra o deputado que apresentou o pedido de CPI em razo de suas ligaes com Carlos Cachoeira; Guerra levantou a informao de que o ex-delegado tambm fez parte do clube Nextel

Presidente do PSDB quer investigar Protógenes
Presidente do PSDB quer investigar Protógenes (Foto: Montagem/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O deputado Protógenes Queiroz (PC do B/SP) pode passar da condição de investigador a investigado. Isso porque o presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PSDB/PE), decidiu protocolar representação contra ele no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Protógenes, que é delegado da Polícia Federal e foi responsável pela Operação Satiagraha, se apresenta como paladino da ética e líder de uma cruzada contra a corrupção no Congresso. Mas os tucanos, que já tiveram acesso ao material apreendido na Operação Monte Carlo, descobriram que Protógenes tinha ligações estreitas com o bicheiro Carlos Cachoeira. O delegado chegou até a usar um dos aparelhos Nextel trazidos dos Estados Unidos pelo contraventor, assim como o senador Demóstenes Torres (sem partido/GO). Um celular, supostamente, imune a grampos.

As primeiras ligações de Protógenes com o esquema de Carlos Cachoeira se tornaram públicas quando foram divulgados grampos entre o deputado e o sargento Idalberto Martins, o Dadá, pelo jornal Estado de S. Paulo. Nas conversas, Dadá dizia ser “muito amigo” de Protógenes e pedia para nomear amigos em seu gabinete.

Protógenes justificou as ligações dizendo que Dadá era uma pessoa notória na comunidade de inteligência. Como Dadá recrutou arapongas que participaram da Operação Satiagraha, realizando grampos clandestinos contra políticos, juízes e jornalistas, a mesma acabou sendo anulada por decisão do Superior Tribunal de Justiça, mas ainda pode ser reaberta pelo Supremo Tribunal Federal.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email