CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Poder

Vicentinho e Falcão defendem Dilma em caso Pasadena-Petrobras

Líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho disse, nesta quinta (20), que a negociação para a compra ocorreu antes da descoberta do pré-sal e da crise financeira de 2008; ele afirmou que a compra fazia parte de uma estratégia da empresa de ampliar a capacidade de refino de óleo pesado no exterior; no plenário da Câmara, o deputado ainda leu trechos de uma matéria produzida pelo 247 sobre o caso; já o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que a presidente Dilma não está sendo atacada no caso envolvendo a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras

Imagem Thumbnail
Líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho disse, nesta quinta (20), que a negociação para a compra ocorreu antes da descoberta do pré-sal e da crise financeira de 2008; ele afirmou que a compra fazia parte de uma estratégia da empresa de ampliar a capacidade de refino de óleo pesado no exterior; no plenário da Câmara, o deputado ainda leu trechos de uma matéria produzida pelo 247 sobre o caso; já o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que a presidente Dilma não está sendo atacada no caso envolvendo a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras (Foto: Valter Lima)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O líder do PT na Câmara, deputado federal Vicentinho, discursou, nesta quinta-feira (20), em defesa da presidente Dilma Rousseff no caso da compra pela Petrobras de uma refinaria em Pasadena, no Texas. Ele disse que a negociação para a compra ocorreu antes da descoberta do pré-sal e da crise financeira de 2008. Afirmou que a compra fazia parte de uma estratégia da empresa de ampliar a capacidade de refino de óleo pesado no exterior. No plenário, Vicentinho ainda leu trechos de uma matéria produzida pelo 247 sobre o caso. 

Ele destacou que, após ter comprado a refinaria em 2005 por US$ 42 milhões, a belga Astra, que passou a ser sócia da Petrobras, investiu R$ 84 milhões antes de vender metade do empreendimento à estatal brasileira. Segundo ele, dos R$ 360 milhões pagos em 2006, US$ 170 milhões se referiam a estoque de petróleo. Sustentou ainda que a Petrobras pagou 25% menos do que o valor médio das transações de operações de refino nos Estados Unidos naquele ano.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Vicentinho reforçou a declaração de Dilma de que o resumo executivo que balizou a decisão do Conselho de Administração não continha as cláusulas que levaram ao prejuízo no negócio: Put Option, que obrigava a Petrobras a adquirir a outra metade da refinaria em caso de divergência com a Astra, e Marlim, que assegurava rentabilidade mínima de 6,9% à empresa belga.

Ao ler matéria do 247, o deputado rechaçou a ideia de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). "Agora virou moda a história de CPI da Petrobras, por causa de um negócio decidido no Conselho, antes de qualquer acontecimento, e tentam apresentar essa CPI exatamente no período eleitoral. Já tentaram, quando criaram a comissão externa. Eu só quero ver essa comissão viajar só para passear lá fora. E agora tentam, a cada momento, dilapidar um patrimônio tão importante, que é a Petrobras. Aliás, eles queriam privatizar a Petrobras", disse.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

RUI FALCÃO

O presidente do PT, Rui Falcão, também saiu em defesa da presidente Dilma. Ele disse que a petista não está sendo atacada no caso envolvendo a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras. "Quem está sendo atacada e foi sistematicamente atacado na nossa história é a Petrobras. A presidente está isenta de qualquer responsabilidade a não ser pela condução do nosso governo que tem sido muito positivo e aprovado pela população", afirmou. O PT vai divulgar, até sexta-feira (21), uma nota sobre a conjuntura nacional, as alianças nos estados e terá uma menção em defesa da Petrobras

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO