Sudeste

Doria quer anunciar lockdown apenas parcial e manter escolas abertas

Com recorde de mortes e com o sistema de saúde no estado de São Paulo próximo do colapso, o governador João Doria irá anunciar nesta quarta-feira a ampliação da fase vermelha, mas manterá escolas abertas com aulas presenciais

Imagem Thumbnail
(Foto: GOVSP | ABr | Reuters)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Nesta terça-feira (2) o estado de São Paulo registrou  468 óbitos pela Covid-19, recorde em toda pandemia. Apesar do grave cenário, o governador João Doria (PSDB-SP) irá anunciar a ampliação da fase vermelha, mas deixará professores jogados à própria sorte, mantendo as aulas presenciais, no momento que o país enfrenta o pior cenário da pandemia.

O governo paulista deve anunciar nesta quarta-feira (3) a classificação de todas as regiões na fase vermelha do Plano São Paulo, que passará a valer a partir de sexta-feira (5), informou reportagem do portal R7. 

As escolas devem continuar abertas com funcionamento fique limitado a 35% do número dos alunos matriculados, como já prevê atualmente o plano.

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, chegou a afirmar, ontem, que é favorável à suspensão das aulas presenciais por conta do agravamento da pandemia de covid-19. Ele argumenta que manter colégios abertos implica em uma série de deslocamentos fora das escolas, o que contribui com a propagação do vírus.Por outro lado, o Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) emitiu nota, também nesta terça, criticando o que chamou de "defesa da suspensão das atividades presenciais de todos os níveis da educação do país". 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A manifestação da entidade ocorreu um dia após o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) pedir a suspensão do funcionamento das escolas, entre outras medidas, para conter o avanço da pandemia no Brasil.

Professores com Covid e mortes

Segundo a Apeoesp, já são  1.730 casos confirmados de Covid-19 entre os professores da rede pública. 

Há registros de mortes cotidianamente. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A professora Maria Tereza Miguel Couto de Lourenço, de 32 anos,  que dava aulas na escola estadual de tempo integral Ministro José de Moura Rezende, em Caçapava (SP) morreu no último dia 20 de fevereiro em decorrência da Covid-19. 

Na cidade de Campinas, Ana Clara Macedo dos Santos, do 8° Ano,  morreu com apenas 13 anos, nesta quinta-feira (25), ao contrair o vírus no colegio Raquel de Queiroz.

 Nesta quarta-feira (3), o professor Rodrigo Andrade, que tinha 39 anos e era coordenador na escola Odair Pedroso, em Cotia (SP), faleceu em decorrência do vírus. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO