Ex-ministros da Saúde relatam cenário de descalabro na cobertura vacinal: "o risco é concreto"

"Não é possível esperar 1º de janeiro para que medidas sejam tomadas. Medidas precisam ser tomadas imediatamente", relata Arthur Chioro

www.brasil247.com - Mercadante, Arthur Chioro, Humberto Costa e José Gomes Temporão
Mercadante, Arthur Chioro, Humberto Costa e José Gomes Temporão (Foto: Reprodução/Youtube)


247 - Representantes do grupo de trabalho da área da saúde do governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva participaram de uma coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (25) para alertar sobre um apagão que vive a área da saúde, com destaque da insuficiente cobertura vacinal, desorganização de dados entre União e municípios, além do iminente risco do retorno de doenças que já foram erradicadas. 

O senador Humberto Costa iniciou sua fala destacando que a cobertura vacinal no combate à Covid entre crianças de 5 anos “é insuficiente” e que faltam dados do governo a respeito da distribuição de imunizantes. 

“Ao contrário do que dizem, existem sim óbitos de crianças pela Covid e isso é preocupante. Precisamos imediatamente solicitar ao governo que inicie a aplicação das  doses de reforço, incluindo a dose bivalente”, reforçou. 

O médico e ex-ministro da Saúde do governo de Dilma Rousseff, Arthur Chioro, classificou o quadro de imunização dos brasileiros como um “descalabro”. 

“Vou dar um exemplo. Até o ano de 2015, o Brasil tinha cobertura para todas as vacinas. Esses números foram caindo e hoje vivemos um quadro de completa insegurança. O risco é concreto. O atual governo destruiu em quatro anos, quatro décadas de construção de um programa modelo internacional”, alertou. 

De acordo com o especialista em saúde, a situação atual do ministério é “tão desorganizada” que não se sabe ao certo quantas doses de vacina contra a Covid são enviadas aos estados e municípios e quantas são aplicadas. “Milhões de doses estão para vencer agora no final do ano e principalmente nas primeiras semanas de janeiro. É uma grave situação”. 

Chioro destacou ainda que o Brasil poderá voltar a ter casos de doenças erradicadas, como a poliomielite. “E não há planejamento no atual ministério para resolver essas questões.Desorganização total”, completou. 

José Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde dos governos Lula e Dilma, citou em seu balanço a situação caótica que enfrentam os hospitais federais no Rio de Janeiro.É extrema a gravidade. Muita degradação e sucateamento".

 Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247