CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Marcia Tiburi avatar

Marcia Tiburi

Professora de Filosofia, escritora, artista visual

103 artigos

blog

A lei do "Não é não" é só uma lei contraditória ou é cínica mesmo?

"Pode parecer, mas isso não é uma falácia. Vamos fingir que não há assédio nas igrejas?", questiona Marcia Tiburi

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Talvez o presidente Lula tenha caído numa armadilha - e com isso colocou Janja, a primeira-dama, que ao se declarar feminista assume as implicações dessa posição, também numa armadilha, assim como todas as mulheres brasileiras.

Janja com seu acesso privilegiado a esse homem, seu marido, como ela gosta de declarar com graça, poderia agora usar sua posição de primeira-dama para esclarecer o presidente sobre o problema da lei que está valendo nos bares, nos lugares de diversão, mas não nas igrejas. Podemos pedir à primeira-dama feminista que, pelo amor das deusas, nos ajude nessa causa!

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Vale para o governo se justificar perante todas as mulheres brasileiras acerca desse protocolo que cai no absurdo, pois, segundo ele, uma mulher deverá ser amparada e protegida nos bares da vida, contra homens violentos e abusivos, mas não nas igrejas. Isso significa que, segundo a lei, nas igrejas, o assédio está liberado.

Pode parecer, mas isso não é uma falácia. Vamos fingir que não há assédio nas igrejas? Certamente, as mulheres contam sempre com a ética dos homens dentro da igrejas, mas os homens de igreja não são conhecidos por serem éticos, basta olhar a história sexual das igrejas que é a história de violências sexuais (estupro, assédio, pedofilia e até assassinato - vide o caso Lucas Terra, ou seja, nem os meninos estão protegidos nas igrejas, etc.).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Certamente, a pressão é grande, todos sabem que governar com esse congresso nacional repleto de machistas oriundos de igrejas não é fácil. E o cálculo sobre votos de igrejas faz parte do jogo do poder hoje. Tudo isso nos faz compreender a situação, mas não da para deixar passar.

É provável também que Lula tenha achado melhor aprovar essa lei contraditória do que não aprovar nada. Ele deve ter ficado entre a cruz e a caldeirinha, lugar onde as mulheres sempre são colocadas no patriarcado e agora também – mais uma vez - por essa lei! Que confusão!

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Fato é que, aprovar uma lei que prevê uma exceção dessas, coloca a lei em contradição e produz um efeito alucinante: a exceção que desprotege as mulheres dentro das igrejas isenta, senão autoriza, o assédio e a importação sexual que em outros lugares é crime !!!

Sugestão que a própria lei contém: mulheres, fujam das igrejas e aproveitem a vida nos bares e shows! Divertir-se torna-se seguro, rezar não!

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Nos resta discutir se tudo isso é cinismo ou se é a verdade que salva!

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO