A sorte dos presidenciáveis esquerdistas

Em primeiro lugar, o dedo que Lula colocar no candidato, ajudará a pelo menos ele chegar em um teórico segundo turno. Observamos uma possibilidade latende do Flávio Dino, e o que poderia ser decidido, seria o seu vice. Outra possibilidade é o Marcelo Freixo, é do Rio de Janeiro, sairia do tão discriminado Nordeste, mas também precisaria de um vice.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vamos analisar a atual situação política brasileira, e saber como as esquerdas poderiam se unir, para uma teórica disputa ao Planalto.

Em primeiro lugar, o dedo que Lula colocar no candidato, ajudará a pelo menos ele chegar em um teórico segundo turno.

Eu, como bom apocalíptico, acredito que nem isso vá ter, pois a turma bozozóica está empolgada, e acima de tudo, cega.

Cada vez mais aumenta eleitores do Bolsonaro.

Observamos uma possibilidade latende do Flávio Dino, e o que poderia ser decidido, seria o seu vice.

Outra possibilidade é o Marcelo Freixo, é do Rio de Janeiro, sairia do tão discriminado Nordeste, mas também precisaria de um vice.

E esse vice, muito pode se falar de um político de centro, mas eu acedito que até o Paulo Câmara correria por fora para esta cadeira.

Dino vice Câmara, ou Freixo vice Câmara.

Ou Dino vice Freixo e vice versa?

Temos essas situações para o desenrolar do agora, se as eleições fossem hoje.

Porém vale ressaltar que em três anos muita coisa muda no cenário político, muitos acontecimentos, novos nomes.

Lula continuará inelegível, e talvez apenas ele teria condições de bater o Bolsonaro, mas é impossível, portanto pensemos em outros candidatos.

Haddad já teve o seu momento, poderia compor como vice também, nessas duas chapas imaginárias.

O certo é que as esquerdas estão com o discurso um pouco morno, não vejo as mobilizações. Fala-se que Lula vai novamente percorrer nas caravanas pelo Brasil inteiro, mas ele não é nome na corrida presidencial, apenas o padrinho.

E nesse apadrinhamento, muito voto se perde, por eleitores indecisos, e que não são muito politizados.

Na minha modesta opinião, ainda não é o momento da retomada, vai ser muito difícil mesmo.

Outros oportunistas como Luciano Huck podem aparecer para melar esse segundo turno…

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247