CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Michel Zaidan avatar

Michel Zaidan

382 artigos

blog

As religiões e o sofrimento humano

Se as religiões ensinassem a empatia com os que sofrem e condenasse os tiranos não seriam chamadas de ópio do povo ou semeadura de ódio

Ataque de Israel a hospital de Gaza mata cerca de 500 pessoas (Foto: Reprodução)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Se as religiões ensinassem a empatia com os que sofrem e condenasse os tiranos não seriam chamadas de ópio do povo ou semeadura de ódio. O que o mundo precisa é da capacidade humana de se colocar no lugar das vítimas e condenar por todos os meios os agressores. Fazer das vítimas instrumento do ódio ou de mesquinhas barganhas políticas é tripudiar sobre a dor dos outros. 

O papel de vítima também não pode ser usado como pretexto para aniquilar a vida de milhares de inocentes sob a alegação do direito de defesa. Este direito não implica em retaliação contra civis e inocentes. Esta é a lei de Talião - dente por dente, olho por olho. A ética retributiva do Velho Testamento que ofende as leis internacionais e a Convenção de Genebra. Por mais compreensível que seja o direito de se defender, esse direito não é absoluto a ponto de colocar em risco  hospitais, escolas,abrigos, templos  ou refúgio de perseguidos políticos. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O cerco feito aos refugiados palestinos repete a triste história do gueto de Varsóvia, onde foram os judeus  as vítimas. Não é possível repetir essa tragédia. Pior ainda a ocupação militar da faixa de Gaza. Tudo isso deveria ser matéria de reflexão e ação das religiões históricas e monoteístas. Ao invés de semear ódio e divisão, proteger as pessoas, condenar a injustiça, combater a tirania e promover a paz e a solidariedade.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO