Julimar Roberto avatar

Julimar Roberto

Comerciário e presidente da Contracs-CUT

181 artigos

blog

Bolsonaro e seu apelo por credibilidade

"Bolsonaro precisava tirar uma foto com o líder russo para alimentar a falsa ideia de que é respeitado pelos principais governantes do mundo"

Imagem Thumbnail
Jair Bolsonaro e Vladimir Putin em Moscou (Foto: Alan Santos/PR)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

No início da semana, Bolsonaro desembarcou em Moscou usando máscara e se submetendo a cinco exames de Covid para poder se aproximar do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Onde estava o negacionismo, a imunização de manada, a postura antivacina, e todas as outras atitudes arrogantes, irresponsáveis e homicidas que levaram 641 mil brasileiros à morte? Ficaram no Brasil.  

Afinal, Bolsonaro precisava tirar uma foto com o líder russo para alimentar a falsa ideia de que é respeitado pelos principais governantes do mundo e municiar seus apoiadores encarregados de espalhar fake News. 

Tanto é verdade que, após a visita ao Kremlin, começaram a circular publicações atribuindo ao presidente do Brasil a responsabilidade pelo recuo das tropas russas da fronteira com a Ucrânia, afirmando sua visita teria evitado a terceira guerra mundial.  

A maior repercussão foi de um vídeo no qual, supostamente, Putin fazia um agradecimento ao líder brasileiro. A peça em russo circulou nas redes sociais com a seguinte legenda em português: “Bom dia cidadãos do mundo. Hoje estava prestes a atacar a Ucrânia quando conversei com o presidente Jair ainda em voo. Ele veio de um lugar tão longe. Ele disse: Ô Vladi, o mundo é nossa casa, Deus está acima de todos. Isso tocou minha alma. Portando agora decidi retirar minhas tropas da fronteira e parar essa guerra. Agradeço de coração, presidente brasileiro”. Na verdade, a filmagem foi publicada em 7 de março de 2018, e se tratava de uma homenagem ao Dia Internacional das Mulheres. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Além do vídeo, outros dois materiais foram divulgados: uma montagem com uma manchete da CNN informando que “Bolsonaro evitou a Terceira Guerra Mundial” e outra com a capa da revista Times atribuindo ao presidente brasileiro o prêmio Nobel da Paz pelo grande feito.  

Ideias como essa nos faz pensar no quanto Bolsonaro e seus aliados estão desesperados e o nível que a campanha presidencial irá chegar. O ex-capitão finge e mente de forma inescrupulosa e, em incontáveis momentos, comprova não possuir princípios, nem ideologia, ou qualquer traço de hombridade. Pelo contrário, sempre se mostra oportunista e dissimulado. Foi assim em 2018, quando a presidência ainda lhe era utopia, e será pior em 2022. 

Mas para combater a mentira, precisamos nos munir com a verdade. Colocar a luz vigorosamente sobre o alqueire e partir para o embate. Essas eleições se definirão no campo do conhecimento, por isso não podemos recuar. Será uma disputa entre a barbárie e a civilidade, a ignorância e o conhecimento, as trevas e a luz.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO