Energia é soberania

É preciso mostrar e mostrar à população que a venda da Eletrobras será um grave crime contra a soberania nacional. A empresa – dona de 37% da capacidade de geração de energia do país, com 47 usinas hidrelétricas, 114 térmicas e 69 eólicas, e de 47% das linhas de transmissão – é essencial para garantir os projetos de desenvolvimento

www.brasil247.com - Vista de torres e cabos de alta tensão no Pará. O leilão de energia existente desta quarta-feira surpreendeu ao reduzir a exposição de distribuidoras ao mercado de curto prazo a apenas 300 megawatts (MW) médios, como resultado também de uma inesperada rev
Vista de torres e cabos de alta tensão no Pará. O leilão de energia existente desta quarta-feira surpreendeu ao reduzir a exposição de distribuidoras ao mercado de curto prazo a apenas 300 megawatts (MW) médios, como resultado também de uma inesperada rev (Foto: Reimont Otoni)


O governo golpista, com a firme cumplicidade de um dos piores Congressos da nossa História, dá mais um passo no desmonte do estado brasileiro e na venda da soberania nacional.

Na última quarta-feira (9), a comissão especial mista da Câmara Federal e do Senado, que analisava a MP do Temer para a privatização da Eletrobras, aprovou o relatório do deputado Júlio Lopes (PP-RJ), por 17 votos a 7, que tornou o projeto ainda pior, tanto para as pessoas como para o país.

Um dos maiores disparates incluídos por Lopes na MP foi e criação do DUTOGAS, um fundo destinado a financiar a construção de gasodutos. A proposta é que esse fundo fique com 20% dos recursos originários do fundo social do pré-sal, que, pouco antes do golpe, a presidenta legítima Dilma Rousseff direcionou integralmente para o financiamento da Saúde e da Educação.

Até a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) se manifestou contra o projeto. Segundo a Aneel, a privatização vai elevar a conta de luz dos consumidores; o aumento deverá ser de 6%, no mínimo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lamentavelmente, a maioria dos parlamentares rejeitou a emenda apresentada pelo PT, que pedia a realização de um plebiscito popular sobre a privatização da Eletrobras. A Comissão, que se recusou a ouvir a população, agora vai examinar os chamados destaques da MP, para, depois, enviar o projeto para a votação nos plenários da Câmara e do Senado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ofensiva contra a Eletrobras parece um teste do golpista Temer de olho na venda de outras quatro grandes estatais – a Petrobras, os Correios, a Caixa e o Banco do Brasil. O assunto é de extrema importante para o Rio de Janeiro, que serve de sede a essas cinco empresas, e a nossa reação não pode tardar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É preciso mostrar e mostrar à população que a venda da Eletrobras será um grave crime contra a soberania nacional. A empresa – dona de 37% da capacidade de geração de energia do país, com 47 usinas hidrelétricas, 114 térmicas e 69 eólicas, e de 47% das linhas de transmissão – é essencial para garantir os projetos de desenvolvimento industrial do Brasil.

A Eletrobras está sendo oferecida a preço de banana. O governo golpista já anunciou que espera arrecadar de 20 a 30 bilhões de reais, valor que cobre apenas os custos da usina de Belo Monte, no Pará. É preciso lembrar que só o parque hidrelétrico da Eletrobras, que vem sendo construído desde 1953, está avaliado em R$ 400 bilhões. É preciso reagir Já.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email