CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Tereza Cruvinel avatar

Tereza Cruvinel

Colunista/comentarista do Brasil247, fundadora e ex-presidente da EBC/TV Brasil, ex-colunista de O Globo, JB, Correio Braziliense, RedeTV e outros veículos.

1002 artigos

blog

Foram duas as tentativas de golpe

"8 de janeiro foi a farsa do golpe original que não se concretizou", afirma Tereza Cruvinel

Bolsonaro e terroristas invadindo o Congresso Nacional (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino | George Marques/via REUTERS)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

A  Operação Tempus Veritati, realizada nesta segunda-feira pela PF,  permite a compreensão de que foram duas as tentativas de golpe de Estado para burlar o resultado da eleição presidencial e manter Bolsonaro no poder.  As investigações revelam que Bolsonaro planejou um golpe com uso de tropas militares  antes da posse de Lula, que o manteria no governo, prenderia ministros do STF e o presidente do Congresso e marcaria novas eleições presidenciais.

Como este golpe não aconteceu, em 8 de janeiro houve uma tentativa desesperada de realizá-lo, já com Lula empossado e Bolsonaro nos Estados Unidos, forçando a adoção de uma GLO com a invasão das sedes dos três poderes e o vandalismo generalizado que chocou o país. Esta, poderíamos dizer, foi a farsa do golpe original que não se concretizou.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Bolsonaro, que hoje teve apenas o passaporte apreendido, agora está definitivamente comprometido com o crime de golpe de Estado. Se em relação ao 8 de janeiro ele pode alegar que nem estava no país, agora existem provas de que ele planejou um golpe que seria dado antes da posse de seu sucessor eleito.

         O golpe antes da posse seria consumado com a intervenção de tropas do Exército, através do batalhão do Comando de Operações Terrestres do Exército (Coter), localizado em Goiânia e vinculado ao Comando Militar do Planalto. Por isso um dos alvos da operação desta segunda-feira foi o general Theóphilo Gaspar de Oliveira, que era na época o comandante da unidade.  

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A PF concluiu, a partir de mensagens obtidas no celular do ex-ajudante-de-ordens Mauro Cid,  que o general Teóphilo reuniu-se com Bolsonaro no dia 9 de dezembro, três dias antes da diplomação de Lula, na qual foi acertada a participação de seu comando no golpe. Ele teria concluído e se colocado de prontidão.

Não por acaso, o ministro Alexandre revelou, em sua fala no ato que esconjurou a tentativa de golpe no último dia 8 de janeiro,  que um dos planos era prendê-lo e levá-lo para Goiânia. Agora fica claro que seria para o batalhão terrestre comandando pelo general Teóphilo.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O plano previa que oficiais das Forças Especiais do Exército (os chamados Kids Pretos), atuariam prendendo o ministro do STF Alexandre de Morais e outras autoridades. O golpe previsto para antes da posse falhou mas vários Kids Pretos foram, de fato, vistos em ação na tentativa de ressuscitar o golpe de 8 de janeiro.

O plano para o golpe original seria baseado, juridicamente, em decreto cuja minuta foi apresentada a Bolsonaro pelo então assessor  Filipe Martins, um dos presos nesta segunda-feira,  e Amauri Feres Saad, outro assessor. O decreto, alegando interferências do STF no Executivo, determinaria a prisão dos ministros  Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, além do Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Bolsonaro teria feito mudanças no texto, mantendo apenas a prisão de Morais, que teve monitorados os voos que realizou entre 14 e 31 de dezembro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Como todos se lembram, no dia 12 de dezembro, em que Lula foi diplomado pelo TSE, falanges bolsonaristas tocaram o terror em Brasília, tentando inclusive invadir a sede da PF.

O que não está claro ainda é por que o golpe de antes da posse não aconteceu.  Possivelmente, faltou coragem a Bolsonaro, que na hora H recuou e preferiu embarcar para os Estados Unidos. Todos se lembram da lenga-lenga sobre seu destino nos dias finais de dezembro de 2022. Ora se dizia que ele viajaria nesta ou naquela data,  ora se dizia que ele resolvera passar a  faixa presidencial para Lula.  Nas vésperas do Natal foi abortado o plano para explodir uma bomba no aeroporto de Brasília. Talvez esta fosse a senha para o golpe. Fato é que ele não veio e Bolsonaro embarcou no dia 30 de dezembro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Afora a conhecida covardia de Bolsonaro, talvez tenha havido, como sustenta o ministro José Múcio, alguma reação dos altos comandantes das Forças Armadas para impedir o golpe de antes da posse.

Ainda saberemos. A hora da verdade está mesmo chegando.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO