O Partido dos Trabalhadores em Londrina e no Paraná

Difícil para os democratas e progressistas continuarmos a residir num Estado e num Município que deram apoio a um impostor destrambelhado, antidemocrata

PT - Partido dos Trabalhadores 
PT - Partido dos Trabalhadores  (Foto: Aldo Fornazieri)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Na semana que passou, em 10 de fevereiro,  comemoramos no Brasil os 44 anos de existência do Partido dos Trabalhadores. Na condição de médico, professor universitário e ativista político de esquerda, participei, em 1981, da fundação do Diretório Municipal de Londrina do PT.

Nas eleições de 1982, fui candidato pelo PT a Vice-governador do Estado do Paraná, ao lado do candidato a Governador Edésio Passos, querido e saudoso companheiro, advogado que residia em Curitiba. No decorrer da campanha, viajamos juntos pelo Paraná, fizemos encontros, comícios e filiações de candidatos a prefeito, e tornamo-nos grandes amigos. Foram meses inesquecíveis da minha vida, durante os quais, como cidadão brasileiro, envolvera-me garbosamente na criação de um grande partido popular e participava das eleições como candidato. 

continua após o anúncio

Eu, o mesmo jovem que lutara destemidamente, desde 1964, contra a ditadura militar. A participação, como candidato, nas eleições de 1982 constituiu-se num esforço, ao mesmo tempo audaz e prazeroso, para a consolidação do nosso Partido no Estado do Paraná. Nas décadas de 1980 e 1990 e, mesmo depois, recebemos pessoalmente Lula em suas numerosas vindas a Londrina. Tive a honra, em 1982, de levar Lula em meu carro (junto com o Osvaldo Lima, candidato na época a prefeito de Londrina) a Cornélio Procópio, onde Lula realizou uma palestra (como se falasse para uma multidão) para vinte sindicalistas daquela cidade. Nesse dia conheci o grande Estadista que era o jovem Luiz Inácio Lula da Silva e nunca mais deixei de admirá-lo e de dar-lhe apoio político. 

Conseguimos, em Londrina, ao longo dessas mais de quatro décadas, eleger dois candidatos a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores. Contribuímos com nossa militância a tentar eleger Luiz Inácio Lula da Silva em todas as suas seis campanhas à  Presidência da República, das quais saiu vitorioso em três delas. Sob a poderosa influência de forças conservadoras e reacionárias da sociedade, da maior parte da mídia local e de líderes políticos que emergiram e se alinharam à propaganda antipetista, com base em denúncias e acusações falsas e caluniosas (“fake news”) alimentadas particularmente pelo juiz Sergio Moro, por Deltan Dallagnol e pelas dezenas de procuradores da “justiça” que os cercavam – criadores da Lava Jato, partido político que implantaram no âmago do judiciário brasileiro –, Londrina, com o decorrer dos anos, sofreu  modificação radical em suas preferência ideológicas, a ponto de,  na eleição para Presidente da República de 2018, o inominável  (do recém-criado PSL) ter conseguido 80,42% dos votos no Município de Londrina e  68,43% dos votos no Estado do Paraná, contra 19,58% dos votos no Município de Londrina e 31,57% no Paraná obtidos por  Fernando Haddad, do PT. Um vexame do qual Londrina e o Estado do Paraná nunca terão a oportunidade de redimir-se. Felizmente, com a emergência da Verdade – depois da estapafúrdia deposição da Presidente Dilma Roussef e da prisão de Lula, ilegal e sem nenhum fundamento jurídico –, a História fez a Justiça ser recuperada, com a declaração da inocência de Lula e, pouco tempo depois, com sua terceira eleição para Presidente da República.Enquanto isso, ocorria a desmoralização da Lava Jato e do seu ex-juiz declarado parcial pelo STF, Sergio Moro, junto com seu bando de procuradores e apoiadores, e  agora – na última semana –  com a demonstração clara, cabal e irrecorrível do frustrado golpe de estado  que o inominável e seus inescrupulosos e incompetentes ministros e correligionários (militares e civis) planejaram desfechar, traiçoeira e afoitamente, contra as instituições democráticas do nosso País, pretendendo, sub-repticiamente e à margem da lei, impor uma nova ditadura militar-civil  ao povo brasileiro.

continua após o anúncio

Difícil para os democratas e progressistas como nós continuarmos a residir num Estado e num Município que deram (e continuam, em grande parte, a dar) apoio a um impostor destrambelhado, antidemocrata, genocida, mentiroso, autorreferente, falso religioso, corrupto, “mito” das falcatruas e líder do golpismo e das tramoias para extinção do Estado de Direito. Consola-nos saber que a Resistência, num ambiente teimosamente hostil, também faz parte da Luta Política em favor da Justiça Social, do Estado de Direito e do rigoroso respeito aos princípios constitucionais.  

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247