Onda de afeto

Abraço é arma de cariocas eleitores de Lula. É a campanha #AbracoAquiLulaLa

www.brasil247.com -


Um grupo de amigos do Rio de Janeiro, eleitores do candidato Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, inventou uma forma diferente de fazer campanha. Cansados e preocupados com a propagação do ódio, eles pensaram numa ação para gerar afeto positivo e criar oportunidade de conversar com eleitores indecisos. Foi aí que surgiu a ideia de montar a banca ABRAÇOS GRÁTIS!

No sábado 15 de outubro, os amigos fizeram a experiência perto da estação do Metrô de Botafogo, e a receptividade foi surpreendente. Teve até uma eleitora que declarou voto no adversário, mas quis o abraço!

“Vai que esse sentimento de acolhimento mexe com ela, né? Ao menos quebramos esse clima de guerra entre as pessoas”, comenta Gricel Osório, uma das participantes da ação.

A repercussão das publicações dos abraços no Twitter com a hashtag #AbracoAquiLulaLa fez outros grupos se animarem com a ideia. “Decidimos criar o perfil @abracoaquilula no Instagram para publicar as fotos e vídeos dos abraços e motivar ainda mais outros grupos”, conta o idealizador da ação, Miguel Freitas. No perfil também há dicas sobre como fazer seu ABRAÇO GRÁTIS.

Quem quiser publicar os registros da sua ação no @abracoaquilula deve marcar o perfil ou mandar as fotos e vídeos por DM.

Para seguir no Instagram: https://www.instagram.com/abracoaquilulala/

Essa onda de afeto tem que se propagar!

abraco-lula

 

abraco-lula

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247