Provocações contra a China prejudicam vacina

Entre os incidentes diplomáticos mais recentes, aspones dos ministros Paulo Guedes e Eduardo Pazuello destacam "o ataque do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao embaixador chinês em Brasília, Yang Wanming

Siga o Brasil 247 no Google News

O trumpista Jair Bolsonaro e o olavete Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, seguem sabotando a vacinação no Brasil. Segundo a CNN-Brasil, "integrantes do alto escalão do governo admitem que a relação conturbada do país com a China tem travado a importação de insumos para produção de vacinas contra a Covid".

Segundo a matéria, "o assunto foi um dos temas da reunião do presidente com ministros no Palácio do Planalto na tarde desta segunda-feira (18)". O temor é que a tensão diplomática dificulte a chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), o princípio ativo da Coronavac, produzido pela indústria chinesa Sinovac.

A tensão pode prejudicar ainda a outra vacina aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a da Oxford/AstraZeneca, que também usa insumos chineses. Segundo a emissora, assessores dos ministérios da Saúde e da Economia que acompanham as negociações da Fiocruz para compra do IFA na Inglaterra temem pela produção no Brasil.

"Beato" Araújo se ajoelha

"Diante desse cenário, integrantes do governo disseram à CNN que a ordem interna agora é para que haja um esforço de reaproximação com o governo chinês". Até o chanceler Ernesto Araújo, o "beato" anticomunista do Itamaraty, tem mantido contato diário com seu correspondente chinês.

Entre os incidentes diplomáticos mais recentes, aspones dos ministros Paulo Guedes e Eduardo Pazuello destacam "o ataque do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao embaixador chinês em Brasília, Yang Wanming, em novembro do ano passado". O filhote 03 do capitão-presidente acusou o principal parceiro comercial do Brasil de espionagem.

Na ocasião, a embaixada da China reagiu à provocação, afirmando que as “declarações infames” de Dudu Bananinha desrespeitam “os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia, solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil". As maluquices da famiglia Bolsonaro cobram alto preço!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email