Inep fez impressão prévia da prova do Enem para Bolsonaro escolher questões

O Inep já cortou questões do próximo Enem. Bolsonaro diz que a prova está ficando com a cara de seu governo

www.brasil247.com - Fachada do Inep
Fachada do Inep (Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado)


247 - O jornal O Estado de S.Paulo publica em sua edição desta quarta-feira (17) uma grave denúncia relacionada com as estratégias do governo Bolsonaro para influenciar na elaboração da prova do Enem. 

Uma dessas estratégias é a impressão de provas e a análise de pessoas externas ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), para tentar controlar o conteúdo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Servidores que pediram exoneração do órgão falam em pressão para trocar itens. Já houve supressão de questões consideradas "sensíveis” na prova que será aplicada nos dias 21 e 28.

Na segunda-feira, em meio à crise dos 37 pedidos de exoneração de servidores do Inep, que criticaram essa pressão e a “fragilidade técnica” da cúpula da autarquia responsável pelas provas, Jair Bolsonaro afirmou que o Enem começa agora a “ter a cara” do governo. 

O Inep passou a imprimir a prova previamente, em um procedimento não adotado em anos anteriores, para permitir que mais pessoas tenham acesso ao exame antes da aplicação. Quem examinou uma primeira versão foi o diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep, Anderson Oliveira – que está no cargo desde maio. Segundo relatos ao jornal O Estado de S.Paulo, 24 questões foram retiradas após uma “leitura crítica”. Algumas foram consideradas “sensíveis”.

O presidente do Inep, Danilo Dupas Ribeiro, negou ter tido acesso à prova e disse que a troca de questões durante a montagem é normal. Ele foi convidado pelo Senado a prestar esclarecimentos sobre servidores que pediram exoneração.

Atualização às 15h41 para inserir a resposta do presidente do Inep

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email