Persio Arida ainda hesita em aceitar cargo no futuro governo Lula

Ideia do PT é nomear o economista liberal no Ministério do Planejamento, fazendo uma dobradinha com Haddad, na Fazenda

www.brasil247.com - Fernando Haddad e Pérsio Arida
Fernando Haddad e Pérsio Arida (Foto: Diogo Zacarias | Reprodução/Youtube)


247 - Cotado para formar uma dobradinha com Fernando Haddad na economia, o liberal Persio Arida ainda hesita em aceitar um cargo no futuro governo Lula, informa reportagem da Folha de S.Paulo desta quinta-feira (24).

A ideia do PT seria nomear Fernando Haddad para o comando do Ministério da Fazenda e Persio Arida, que teria mais aceitação do mercado, no Ministério do Planejamento. Os dois nomes seria anunciados de uma vez para reduzir qualquer eventual insatisfação do mercado com Haddad.

>> Haddad é escalado por Lula para almoço com Roberto Campos Neto e banqueiros

“Apesar da torcida, a dúvida de petistas sobre um ‘sim’ de Persio —ex-presidente do Banco Central e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de ser um dos "pais" do Plano Real— faz com que integrantes mantenham apostas também em nomes técnicos dentro do próprio PT”, diz a reportagem.

Nesta sexta-feira (25), Haddad foi escalado por Lula para representá-lo num almoço com banqueiros em São Paulo, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Além de Haddad, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, também participa do evento.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247