China reage ao insulto de Paulo Guedes e Brasil pode ficar sem vacinas e insumos contra a Covid-19

Embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, foi ao Twitter e lembrou que, "até o momento", a China é o principal fornecedor de insumos e vacinas ao Brasil

(Foto: Reuters | Romulo Serpa/Agência CNJ)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A agressão do ministro Paulo Guedes à China, que é o país que mais investe no Brasil, que mais compra produtos brasileiros e que mais fornece vacinas e insumos contra a Covid-19 ao País, não passou despercebida pelos canais diplomáticos chineses. Em tweet postado há poucos minutos, o embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, mandou um claro recado ao Brasil. "Até o momento, a China é o principal fornecedor das vacinas e os insumos ao Brasil, que respondem por 95% do total recebido pelo Brasil e são suficientes para cobrir 60% dos grupos prioritários na fase emergencial. A CoronaVac representa 84% das vacinas aplicadas no Brasil", disse ele.

No tweet, nada é tão importante quanto a expressão "até o momento" – o que significa que Guedes já garantiu seu lugar cativo na CPI do Genocídio. Confira o tweet:

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email