"Óbito também é alta", "entregue o kit e não interne o paciente": as ordens que eram dadas na Prevent Senior

Em depoimento à CPI, a advogada Bruna Morato, representante de 12 médicos da Prevent Senior, relatou que, na empresa, até hino existia; os funcionários eram obrigados a entoá-lo com a mão sobre o peito

Bruna Morato
Bruna Morato (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A advogada Bruna Morato, representante de 12 médicos da Prevent Senior, em depoimento à CPI da Covid nesta terça-feira (28), denunciou aos senadores diferentes ordens irregulares que eram passadas pela operadora de saúde a seus funcionários.

"Não interne o paciente"

Uma das ordens, segundo ela, dizia o seguinte: "entregue o kit [Covid] e não interne o paciente. É uma ordem expressa". Para senadores, fica clara a intenção da operadora de, além de diminuir o número de internações e óbitos pela Covid-19, o que poderia atrair ainda mais clientes, também economizar no atendimento aos pacientes. 

Uma internação em decorrência do coronavírus é muito mais cara do que a aplicação indiscriminada do chamado "kit Covid", baseado em medicamentos comprovadamente ineficazes contra a Covid-19, como a hidroxicloroquina.

PUBLICIDADE

 "Óbito também é alta"

Outra fala recorrente era: "óbito também é alta". De acordo com Bruna, a Prevent Senior determinava que seus médicos reduzissem a oferta de oxigênio a pacientes internados há mais de 14 dias na UTI com o objetivo de liberar leitos. Para eles, afinal, "óbito também é alta".

Hino de lealdade

A oitiva desta terça-feira ainda revelou que funcionários da empresa eram obrigados a cantar, com a mão sobre o peito, um 'hino de lealdade', composto pela banda de rock dos donos, a Doctor Pheabes, de Eduardo e Fernando Parrillo. Os médicos eram obrigados a entoar a canção enquanto os irmãos Parrillo tocavam a música, o que ocorria em eventos da empresa.

PUBLICIDADE

"Obediência e lealdade"

Durante o depoimento da advogada também foi lembrado o lema utilizado pelo ex-diretor da Prevent para incentivar seus funcionários: "obediência e lealdade". Frase semelhante era usada pela Schutzstaffel - conhecida como SS (abreviação) - uma organização paramilitar da época da Alemanha nazista, de Adolf Hitler (1889-1945). Ao que tudo indica, no entanto, o lema foi abolido da operadora em 2017.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email