Senadores querem que Pazuello revele o nome de quem pediu 'pixulé' na Saúde

Eduardo Pazuello disse ao atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que lideranças queriam “um pixulé” de dinheiro na pasta no fim de 2020. CPI quer saber quais são os nomes dos políticos que tentaram obter dinheiro da pasta

(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Eduardo Pazuello, que caiu do Ministério da Saúde em março, disse ao atual ministro, Marcelo Queiroga na passagem do cargo no dia 24 daquele mês que parlamentares pediram “um pixulé” (dinheiro) na pasta no fim de 2020. Agora, a CPI no Senado que apura as irregularidades do governo no combate à pandemia, quer saber quais são os nomes dos políticos que tentaram obter dinheiro na pasta

Segundo a jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo, em um vídeo gravado de uma conversa com Queiroga, Pazuello diz que uma “carreata de gente pedindo dinheiro politicamente” teria batido às portas do ministério no fim de 2020, e ele não atendeu. A recusa teria sido um dos motivos de ter sido afastado do cargo por Jair Bolsonaro (sem partido), depois da pressão de lideranças políticas.

Na época de sua saída, Pazuello chegou a bater na mesa em uma reunião com Bolsonaro e a médica Ludhmila Hajjar, então cotada para substituí-lo, reclamando que só estava saindo do cargo por não ter entrado no jogo político.

PUBLICIDADE

Isolado 

Na mira da CPI da Covid-19 instaurada no Senado, Pazuello perdeu boa parte do apoio e solidariedade que tinha da caserna no período em que estava no comando da Saúde. A informação é da coluna Radar, do portal Veja. 

PUBLICIDADE

Quando virou alvo do STF e da Polícia Federal por incompetência na condução do combate à pandemia, o general chegou a receber suporte da cúpula militar, a partir da gestão de Fernando Azevedo, então ministro da Defesa.

No entanto, o avanço de Bolsonaro contra Azevedo e os chefes das Forças Armadas e o avanço do genocídio fez com que Pazuello ficasse isolado entre os militares.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email