CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

Governador de Roraima, Denarium diz que indígenas devem se articular para que eles próprios explorem suas terras

Ao mesmo tempo, Antonio Denarium disse que há 50 mil famílias que dependem do garimpo em Roraima e que não podem ficar desempregadas

Imagem Thumbnail
O governador de Roraima, Antnio Denarium (Foto: ABR)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O governador de Roraima, Antonio Denarium (PP), defendeu em entrevista à Folha de S. Paulo que os indígenas se articulem para que eles próprios possam explorar suas terras, ricas em minérios. Segundo ele, o pedaço de terra de Roraima é o mais rico do mundo, “tem a tabela periódica inteira”.

“Imagine você desempregado, pobre, passando fome, doente. Dentro da sua casa tem um quadro do Picasso que vale US$ 1 bilhão. O que você faria? Venderia. Aí pega o dinheiro e melhora sua qualidade de vida. Igual aos indígenas americanos”, disse ele.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

>>> Lula anuncia decreto para acabar com garimpo em territórios indígenas 

Ele deu o exemplo de cassinos nos Estados Unidos em áreas indígenas, que geram royalties para essa população. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Ao mesmo tempo, Denarium disse que há 50 mil famílias que dependem do garimpo em Roraima e que não podem ficar desempregadas. 

Denarium também afirmou que a responsabilidade pela crise humanitária dos yanomamis no Norte do país não é única e exclusiva de Jair Bolsonaro. No entanto, os fatos mostram que o  garimpo ilegal foi encorajado durante o último governo. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

>>> Barroso manda apurar crime de genocídio contra indígenas pelo governo Bolsonaro

"Foi dada publicidade há um problema que é recorrente há 20 anos", avaliou. "Estão criando um fato que não é de hoje". 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O governador contestou o argumento de que o garimpo esteja prejudicando a saúde dos yanomamis, alegando que há desnutrição indígena em locais sem garimpo.

Ele ainda disse que a desnutrição não existe só no estado e que nos vídeos divulgados de yanomamis visivelmente desnutridos “não tem desnutrido”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"A Cufa [Central Única das Favelas] está entregando cestas de alimentos aqui. Você vê nas filas, nos vídeos que eles publicam, não tem nenhum desnutrido. Todo mundo bem arrumadinho, tudo certinho. O problema é localizado, não é generalizado", disse. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO