Indicado de Bolsonaro para presidir Petrobrás defendeu privatizar a empresa

Adriano Pires classificou como "retorno das perdas, desequilíbrio concorrencial" qualquer mudança na atual política de reajuste dos combustíveis

www.brasil247.com - Petrobrás e o economista Adriano Pires
Petrobrás e o economista Adriano Pires (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker | Pedro França/Agência Senado)


247 - O economista Adriano Pires, confirmado pelo governo federal nesta segunda-feira (28) como novo presidente da Petrobrás, já defendeu a privatização da empresa como solução para evitar a alta nos valores dos combustíveis. De acordo com ele, "a solução definitiva" para conter o aumento de preços de produtores derivados de petróleo "só virá com a privatização da Petrobrás".

"Com o inicio das campanhas eleitorais de 2022, vemos políticos querendo a volta da política da intervenção nos preços da refinaria. Isso representa o retorno das perdas para a Petrobras, desequilíbrio concorrencial, insegurança para realização de investimentos no setor e aumento da dificuldade para o avanço do importante programa de desinvestimento nas refinarias da Petrobras", disse ele em texto publicado no site Poder 360 em outubro do ano passado.

"A solução definitiva só virá com a privatização da Petrobras. Enquanto a empresa for de economia mista, tendo o Estado como controlador, os seus benefícios corporativos e as práticas monopolistas serão mantidos –a favor da corporação e, muitas das vezes, contra os interesses do Brasil".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No dia 10 de março de 2022, a Petrobrás anunciou aumento de 18,77% para o litro da gasolina e 24,9% para o do diesel. O gás de cozinha passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo, um reajuste de 16%. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email