CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Comissão de Anistia julga reparação inédita por violência contra povos indígenas

Pedidos de perdão coletivo, negados durante o governo Bolsonaro, serão reavaliados após 60 anos do golpe militar

(Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A Comissão de Anistia se prepara para julgar pedidos inéditos de perdão coletivo relacionados à violência perpetrada contra povos indígenas. Na pauta desta terça-feira (2), o colegiado irá considerar os casos dos povos guarani-kaiowá e krenak, ambos rejeitados durante o mandato da ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, na gestão de Jair Bolsonaro, desta o jornal Folha de S. Paulo.

A Comissão Nacional da Verdade estima que cerca de 8.350 indígenas foram mortos no período compreendido entre 1946 e 1988. Os dois casos em destaque referem-se a comunidades expulsas de seus territórios e agora buscam reparação por meio da anistia.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O pedido de perdão coletivo é um mecanismo de reconhecimento e preservação da memória das atrocidades cometidas durante o regime autoritário. Através dele, o Estado assume responsabilidade pelos crimes perpetrados contra os povos indígenas durante a ditadura militar.

Em 2023, o regimento da Comissão de Anistia foi atualizado para incluir explicitamente reparações coletivas, marcando um avanço significativo. Este será o primeiro julgamento de perdão destinado a povos indígenas.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO