Com Salles e Bolsonaro, desmatamento em terras indígenas aumenta 150%

Os resultados da política ambiental desastrosa de Bolsonaro e Salles aparecem nos dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)

Ricardo Salles e Pantanal em chamas
Ricardo Salles e Pantanal em chamas (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revela o resultado das políticas ambientais de Jair Bolsonaro e do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, que é inclusive investigado por participar de esquema de exportação ilegal de madeiras e pode ser preso.

Segundo O Globo, o desmatamento na Amazônia cresceu 46% nos primeiros dois anos do atual governo se comparados ao período entre 2017 e 2018, chegando a mais de 21 mil km2 devastados. Este é o maior número da década para dois anos consecutivos.

Em unidades de conservação, a taxa de desmatamento saltou 62% nos dois primeiros anos do governo Bolsonaro em comparação aos dois anos anteriores. Nas terras indígenas o número é ainda mais aterrorizante: um crescimento de 150%.

PUBLICIDADE

Nesta sexta-feira (4), o Inpe divulgou que o desmatamento em maio deste ano cresceu 40% em relação ao mesmo mês do ano passado. 

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email