Pescadores ilegais ameaçam 'exterminar' lideranças indígenas do Vale do Javari

Foi o que apontou uma carta aberta da Associação dos Kanamari

www.brasil247.com - Vale do Javari, no Amazonas
Vale do Javari, no Amazonas (Foto: Reprodução/Univaja)


247 - Lideranças indígenas que atuam no Vale do Javari, no interior do Amazonas, continuam sofrendo ameaças de pescadores ilegais. Criminosos deram um aviso de "extermínio" aos protetores da região. Foi o que apontou uma carta aberta da Associação dos Kanamari, divulgada nesta sexta-feira (18), após um grupo de 30 indígenas da etnia ser atacado. As informações foram publicadas pelo portal G1

De acordo com o documento, pescadores apontaram uma arma para o peito de uma indígena, uma das líderes dos Kanamari, e disseram que "as mortes no Vale do Javari não vão acabar até que as principais lideranças do local sejam assassinadas". Os homens afirmaram que a mulher está na lista dos alvos dos criminosos.

"Vou tirar a máscara para você ver meu rosto e te avisar que por conta de atitudes assim que Bruno e Dom foram mortos pela nossa equipe e você será a próxima. Só não te matarei agora porque estamos na presença de muitas crianças", disse um dos pescadores à mulher, segundo os indígenas.

>>> Queimadas em estados bolsonaristas da Amazônia sobem 1.200% após derrota de Bolsonaro

O indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram assassinados em junho de 2022 no Vale do Javari. Os dois eram ativistas ambientais. 

Na carta, os indígenas disseram que as ameaças viraram rotina na terra indígena. "A vida nunca mais foi a mesma. Não há segurança alguma para viver dentro do nosso território, temos medo por nós e pelos nossos parentes isolados. Essa situação foi mais uma que aconteceu aqui, mesmo após os terríveis assassinatos de nossos irmãos e parceiros, Bruno e Dom, nada mudou e nos perguntamos: 'Quantos dos nossos iremos perder nesta guerra?'".

A Associação pediu ajuda ao Poder Público. "Queremos ajuda, pois queremos viver. Toda a vida que habita a floresta é importante e defenderemos nossos irmãos e irmãs sempre. Seguiremos fortes até o fim", acrescentaram. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247