Queimadas em estados bolsonaristas da Amazônia sobem 1.200% após derrota de Bolsonaro

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou mais de 3 mil focos de calor entre os dias 1º e 16 de novembro no Amazonas, no Acre e em Rondônia

www.brasil247.com - Vista aérea de área desmatada da Amazônia
Vista aérea de área desmatada da Amazônia (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)


247 - O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 3.332 focos de calor entre os dias 1º e 16 de novembro no Amazonas, no Acre e em Rondônia. No mesmo período em 2021, foram 253 incêndios nos três estados. O aumento foi de 1.216%. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo.

O governador Wilson Lima (União Brasil) foi reeleito entre amazonenses, com 56,65% dos votos. Gladson Cameli (PP) venceu no Acre (56,7%) e o Coronel Marcos Rocha (União Brasil) em Rondônia (52,47%).

Em nota, o presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), Nelson Sales, disse que novembro tem sido atípico em 2022. "O período de seca no sul da Amazônia se prolongou. Nos municípios do Acre choveu menos de um quarto do esperado para todo o mês. A estiagem fora de época proporcionou o aumento dos focos de queimadas, usadas culturalmente para limpeza das áreas rurais".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247