(Vídeo) “Decapitamos Luís XVI. Macron, podemos fazer de novo”, ameaçam manifestantes na França

Revoltosos estão nas ruas para protestar contra decisão do governo francês de elevar a idade para aposentadoria sem votação no Parlamento. Manifestações seguem neste sábado

Protestos na França contra o presidente Emmanuel Macron
Protestos na França contra o presidente Emmanuel Macron (Foto: Reprodução/Twitter | Reprodução/TFI)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Manifestantes franceses ameaçaram decapitar o presidente Emmanuel Macron durante protestos ocorridos na França nesta sexta-feira (17). Os revoltosos estão nas ruas para protestar contra a decisão do governo de Emmanuel Macron de elevar a idade para aposentadoria sem votação no Parlamento.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra os franceses gritando “nós decapitamos Luís XVI. Macron, podemos fazer de novo!”, em referência ao assassinato do rei do país durante a Revolução Francesa iniciada em 1789. Assista:

continua após o anúncio

Protestos seguem neste sábado

(Reuters) - Greves em refinarias persistiram neste sábado na França e mais manifestações ocorreram em todo o país em meio à raiva pelo governo que pressiona por um aumento na idade de aposentadoria do Estado sem uma votação parlamentar.

continua após o anúncio

A crescente agitação, combinada com o acúmulo de lixo nas ruas de Paris depois que trabalhadores parados se juntaram à ação, deixou o presidente Emmanuel Macron com o mais grave desafio à sua autoridade desde os chamados protestos dos "Gilets Jaunes" (coletes amarelos) de dezembro 2018.

Enquanto isso, as greves contínuas continuaram nas ferrovias.

continua após o anúncio

A polícia de choque entrou em confronto com manifestantes na noite de sexta-feira em Paris, quando uma manifestação ocorreu na Place de la Concorde, na capital, perto do prédio do parlamento Assemblee Nationale, resultando em 61 prisões.

"Não há lugar para violência. É preciso respeitar a democracia parlamentar", disse o ministro da Transição Digital e Telecomunicações, Jean-Noel Barrot, à rádio Sud.

continua após o anúncio

Um outro comício foi planejado em Paris ainda neste sábado, enquanto a televisão BFM mostrou imagens de manifestações já ocorrendo em cidades como Compiegne, no norte, Nantes, no oeste, e Saint-Etienne, no centro da França.

Uma ampla aliança dos principais sindicatos da França disse que continuará a se mobilizar para tentar forçar uma reviravolta nas mudanças. Um dia de ação industrial nacional está agendado para quinta-feira.

continua após o anúncio

Embora oito dias de protestos em todo o país desde meados de janeiro, e muitas ações industriais locais, tenham sido até agora amplamente pacíficos, a agitação nos últimos três dias lembra os protestos dos Coletes Amarelos que eclodiram no final de 2018 devido aos altos preços dos combustíveis e que forçou Macron a uma meia-volta parcial em um imposto sobre o carbono.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247