Médico bolsonarista ameaça dar 'tiro na cara' de militante do PT em Curitiba

Ameaça do médico bolsonarista Ricardo Rosa foi feita durante um ato de campanha da candidata a deputada federal Carol Dartora

www.brasil247.com - Ricardo Rosa e integrante da campanha da candidata a deputada federal Carol Dartor
Ricardo Rosa e integrante da campanha da candidata a deputada federal Carol Dartor (Foto: Reprodução)


247 - O médico bolsonarista Ricardo Rosa ameaçou disparar um tiro contra uma integrante da campanha da candidata a deputada federal Carol Dartora (PT-PR), em Curitiba (PR), na tarde da terça-feira (27). "Vou te dar um tiro na cara", teria dito o agressor após ser abordado durante uma panfletagem feita na rua XV de Novembro, na região central da capital.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o boletim de ocorrência feito por militantes do PT no 1º Distrito da Polícia Civil destaca que Rosa ainda teria dito que cuspiria "na cara" dos apoiadores do Partido dos Trabalhadores. Diante da reação, o médico buscou refúgio em uma barraca que distribuía material de campanha de candidatos que apoiam a reeleição de Jair Bolsonaro (PL). 

No local, ao ser abordado por populares que perguntaram o seu nome, o profissional de saúde respondeu: "Bolsonaro". Ele foi conduzido à delegacia por agentes da Guarda Municipal. 

A candidata Carol Dartora afirmou, em nota, que "esse ódio é estimulado pela intolerância ao diferente e pelo inconformismo com os valores democráticos por parte de adeptos da ideologia do bolsonarismo. Querem nos amedrontar, nos impedir de exercer nossos direitos políticos, mas não terão êxito”.

>>> Maioria dos brasileiros teme violência política e 90% rechaça golpe, diz pesquisa 

De acordo com a reportagem, o advogado Milton Vernalha negou a acusação e disse, também em nota, que “Ricardo Rosa foi vítima de constrangimento ilegal e de uma cilada dos militantes políticos do PT, os quais se fizeram de vítima em verdadeira denunciação criminosa". 

Ainda segundo ele, o médico teria sido alvo de uma retaliação após recusar receber o panfleto pela terceira vez e acusar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de agir "em apologia do crime". "A partir disso, os militantes do PT o cercaram e, prometendo lhe fazer mal injusto e grave, o acuaram", ressaltou. 

O aumento dos casos de violência política tem causado preocupação entre os brasileiros. Quase 70% dos brasileiros dizem ter medo de serem agredidos fisicamente por causa de sua preferência política ou partidária, segundo pesquisa do Datafolha divulgada neste mês.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 


 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247