América latina

Equador: direitista Lasso tem rejeição acima de 50% em menos de um ano de governo

Pesquisa mostra que a aprovação do presidente está atualmente em apenas 37,6%

Guillermo Lasso, presidente eleito do Equador
Guillermo Lasso, presidente eleito do Equador (Foto: REUTERS/Maria Fernanda Landin)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

TeleSur - 56,5 por cento dos cidadãos equatorianos desaprovam a gestão de seu presidente, Guillermo Lasso, de acordo com os resultados de pesquisa do Clima Social, divulgados nesta quinta-feira.

De acordo com a empresa de consultoria e pesquisa, 42,5% da amostra classificou a gestão de Lasso como ruim, enquanto 14% a classificou como muito ruim.

continua após o anúncio

A aprovação do trabalho do presidente está atualmente em 37,6 pontos percentuais e caiu 24,2% desde setembro passado, quando era de 61,8%.

Entre os que consideram a gestão presidencial positiva, 34,3 por cento a consideram boa e 3,3 como muito boa.

continua após o anúncio

Segundo a imprensa, o Clima Social também se interessou pelo estado de espírito da população na reta final do ano de 2021. A este respeito, 55,1 por cento referiram sentimentos de medo, tristeza e raiva, enquanto 29, 5 expressaram alegria, satisfação ou esperança.

Além disso, analisou como é percebida a atuação da presidente da Assembleia Nacional, Guadalupe Llori. Nesse sentido, o estudo constatou que 45,4% da amostra avaliou como ruim ou muito ruim, enquanto 29,2% dos pesquisados responderam positivamente.

continua após o anúncio

O estudo foi aplicado por meio de entrevistas diretas nas residências de 1.670 pessoas maiores de 16 anos, residentes nas cidades de Quito, Guayaquil, Cayambe, Latacunga, restante da província de Pichincha (onde fica a capital equatoriana) e outras cidades.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247