CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
América Latina

"Posições de Boric estão causando ruído na esquerda latino-americana mais antiga", diz professora chilena

Presidente chileno foi caracterizado como apressado pelo homólogo brasileiro após declarações condenatórias à Rússia pela guerra em curso na Ucrânia

Gabriel Boric (Foto: Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Paulina Astroza, professora de Direito Internacional e Relações Internacionais da Universidade de Concepción, afirmou que o presidente do Chile, Gabriel Boric, virou uma "pedra no sapato" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de outros líderes da esquerda latino-americana que ela considerou "mais antiga, e em alguns casos mais radical". Ela se refere às críticas contundentes de Boric à guerra na Ucrânia, enquanto o Brasil adota um discurso neutro. 

"O interessante é que, ao comentar o que Boric disse, Lula fala sobre a juventude do chileno, sua suposta falta de experiência. Ou seja, o presidente do Brasil não questiona o conteúdo da fala de Boric, ataca suas características pessoais. Isso demonstra, a meu ver, que as posições de Boric estão causando ruído na esquerda latino-americana mais antiga, incomodam líderes como Lula, que gostariam que Boric tivesse aderido a suas posições, e não optado por um caminho próprio", disse ela, ao jornal O Globo. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

ENTENDA - O presidente do Chile, Gabriel Boric, se manifestou nesta quarta-feira (19) após receber críticas do homólogo brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, por seu posicionamento radicalmente contrário à ação militar da Rússia na Ucrânia, manifestado durante a III Cúpula Celac-UE, em Bruxelas, Bélgica. 

Na ocasião, Boric atribuiu a ação militar de Moscou ao que chamou de 'imperialismo' russo, atraindo críticas de Lula, que considerou que Boric é um líder inexperiente e apressado. Apesar das duras críticas, Boric não se mostrou abalado e até elogiou Lula. >>> Boric exorta os líderes latino-americanos a condenar a Rússia por "guerra imperial inaceitável"

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Ao chegar em Paris, França, Boric declarou ter "respeito infinito e carinho por Lula". "Não me sinto ofendido, me sinto tranquilo por ter oportunidade de conversar com ele", afirmou, conforme citado pelo portal UOL

Ele pontuou que a guerra na Ucrânia "afeta diretamente" o Chile, resultando em aumento de preços de alimentos e fertilizantes. Também mencionou que a posição de Santiago é pelo respeito e defesa do direito internacional, limite que "nenhuma potência pode ultrapassar".

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO