72 horas para a derrocada do Império do Mal no Brasil

São horas de grande expectativa, uma boa dose de temor e outra, maior ainda, de esperança

www.brasil247.com - Lula e Bolsonaro
Lula e Bolsonaro (Foto: Ricardo Stuckert | REUTERS/Adriano Machado)


Estamos há exatas 72 horas para vermos a libertação do povo brasileiro do jugo da barbárie, da ignorância, da negação da Ciência e do livre trânsito da de informações verdadeiras.

São horas de grande expectativa, uma boa dose de temor e outra, maior ainda, de esperança.

A caixa de Pandora aberta em 3 de janeiro de 2019 pelo malévolo Jair Bolsonaro e sua trupe de milicianos e cafajestes de vários matizes já mostrou o arsenal de maldade que era capaz de mostrar.

Resta sair, solitária e incólume, a última habitante de Pandora:

A ESPERANÇA!

E essa esperança que haverá de enterrar resquícios de um péssimo momento de nossa atabalhoada História republicana; a esperança será o motor que fará vibrar e sonhar novamente os esteios da paz e da justiça social, o primados dos direitos humanos, a saudável sensação iluminista e cientificista de que o povo brasileiro é resiliente e forte, capaz de sofrer todo tipo de agressão continuada e ainda assim manter intacta sua essência. Essência democrática, essência pacifista, essência moldada pelos ditames do melhor da civilização judaico-cristã.

Das 8h às 17h do domingo, 2/10, as esperanças de um futuro melhor serão lançadas em milhares de urnas em todos os quadrantes do país.

Mas serão 72 horas decisivas em que iremos para uma espécie de tudo ou nada. Há que se virar votos antes delirantes nas quimeras bolsonaristas em votos pela democracia, pelo bom senso, pela ética tantas vezes maltratada, saqueada e espoliada.

Quatro anos de arruaças, demagogia a dar de pau, charlatanismo messiânico e quetais, pessoas de péssima índole cuidando da saúde pública, do meio ambiente, da educação, dos bons costumes republicanos. Tempo de vagabundagem explícita tanto no Executivo quanto no Legislativo, de mais de 700.000 mortes pelo novo coronavírus, sendo cerca de 300.000 poderiam ter sido poupadas caso não imperasse os sacerdotes das Fake News negacionistas da vacina.

O Brasil virou campo de batalha arrasado, terra arrasada por toneladas de minas de ódio, obscurantismo, ressentimento despejadas hora a hora ao longo de terríveis quatro anos de desgoverno, descalabro e inconsequências mil.

Que a derrota do fascismo mais rés do chão que tanto fez adoecer o tecido social brasileiro leve consigo para os quintos dos infernos a legião de militares truculentos, fanatizados por um capitão meia tigela, que fizeram emergir o pior tipo de brasileiro que jamais sonhávamos existir – os bolsominions. Essa é uma casta cevada no jogo baixo, na enganação, na corrupção desmesurada, e no ódio entre seus antes iguais. Famílias fendidas pelo ódio bolsonarista, pelos maus perdedores, pelos que seguem a máxima maquiavélica: todos os meios são permissíveis desde que sejam atingidos seus fins.

Faltam 72 horas para acabarmos esse mal-estar que assola a civilização brasileira.

72 horas para nos livrarmos de nossos algozes e carrascos, dos milicianos que tomaram de assalto nossas forças de segurança, de nossos militares saudosistas dos tempos do “prendo e arrebento” e muito ávidos para se locupletar com polpudos salários na máquina pública e avançar sobre nacos cada vez maiores do orçamento da União.

Agora é a hora e a vez da Esperança!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email